Saudação à vida

Data de publicação: 21 Jan 2022


 
Por Oswaldo Augusto de Barros*


Estar doente não significa estar de acordo com a morte. A vida existe para ser saudada. É uma dádiva que nos foi concedida para que sirva de exemplo aos que convivem de alguma forma conosco. Lutar pela vida tem inúmeros significados.

Sobrevivência é perder a disposição de continuar lutando. Mas ao mesmo tempo pode nos levar a extremos. A fome que o diga. O desemprego sem expectativa de retorno ao trabalho. A perda do poder de ter um horizonte de oportunidades.

E, por mais que se tente esconder, defender a Economia expondo a vida à contaminação é crime, é desejar a morte. A variante Ômicron, responsável por novas ondas de Covid-19 em todo o mundo, não é exemplo de vida, é contaminação em massa. A testagem precária e a falta de disposição de demonstrar a real situação da população são omissões do Estado.

Hospitais melhores preparados já dão sinal de saturação com o número de internações e as “Autoridades responsáveis pela ação de prevenção e precaução”, mais uma vez, se omitem e desdenham de tudo que é levado ao conhecimento público. 

É dever do Estado e de todos lutar pela vida, cada um com suas possibilidades, acreditando na ciência que evolui a cada dia. Assim como ter fé no que está sendo traçado pela equipe médica. Tenho sofrido essa realidade na pele. 

Mas no turbilhão que me encontro lembro também de Elza Soares, como exemplo de sofrimento, luta e superação, que há 3 dias encerrou a gravação de mais um CD de sua carreira, com o título “Lutar até o fim”. Aos 91 anos de idade, vivendo-os intensamente, Elza deixa um legado que transcende a música. A Cultura curva-se à sua genialidade e determinação.

Da minha parte o agradecimento aos familiares, amigos, corpo médico, auxiliares da saúde, do mais humilde ao mais especializado, pelas orações e dedicação técnica. 

Não perder a fé faz a diferença, desdenhar a ciência não é pecado venial.

 

Oswaldo Augusto de Barros*
Presidente da NCST-CNTEEC-FEPPAAE
Coodenador-nacional do FST 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

Endereço: SAUS Quadra 04 Bloco A Salas 905 a 908 (Ed. Victória) - CEP:70070-938 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000

Back to Top