OPINIÃO - Do pesar à comemoração

Data de publicação: 18 Fev 2022



Por Oswaldo Augusto de Barros*

Numa semana em que mais uma vez a terra engole tantas vidas, onde vemos, constrangidos, comparativos com número de mortes das catástrofes anteriores, onde parece que a lição das mortes aumenta as desculpas da incompetência administrativa, Petrópolis foi a rogatória da vez.

Vidas foram apenas números. Nossos sentimentos aos parentes e amigos que perderam seus entes queridos.

A incompetência tem prevalecido e é impossível deixar de protestar contra a insensibilidade daqueles que se conformam e se dizem impotentes contra os “devaneios naturais”, como se aqueles que lá moravam tivessem opção melhor de morada.

Mas, no contraponto da vida, temos algo a comemorar. O Movimento Sindical, outra vez dando mostras de sua competência administrativa, comemora mais um aniversário de vida de uma de suas instituições. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Educação e Cultura, CNTEEC, nesta semana comemora 56 anos de vida, e aqui, na sua presidência, agradeço a todos os que se manifestaram em cumprimentos à data.

O Sindicalismo pós-“reforma trabalhista de 2017” decretou o fim de seu Sistema Confederativo: a pirâmide com a base sindical, coordenada pelas Federações e Confederações, tendo, caso haja adesão à representação da Central Sindical, com a retirada da contribuição compulsória.

Tidas pelo Supremo Tribunal Federal como meras associações que deveriam ser custeadas espontaneamente por seus representados, condenou à morte aqueles que representavam o Trabalho nas “negociações coletivas” com o Capital.

Enquanto ainda têm fôlego econômico, resistem. Porém, já se observa, na ausência de melhores conquistas salariais, o empoderamento do Capital nessa relação.

Por ter amealhado fôlego econômico, a CNTEEC resiste e sobrevive heroicamente a toda essa dificuldade, mantendo-se na defesa de seus filiados, toda vez que esses a procuram no sentido da defesa dos direitos da Classe Trabalhadora.

Parabéns a todos que, direta ou indiretamente, tornaram-na um agente de representação dos Trabalhadores nessa relação de forças.

*Professor Oswaldo Augusto de Barros
Coordenador do FST- CNTEEC-NCST
A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

Endereço: SAUS Quadra 04 Bloco A Salas 905 a 908 (Ed. Victória) - CEP:70070-938 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000

Back to Top