NCST repudia decisão do STF sobre suspensão do piso salarial da enfermagem

Data de publicação: 16 Set 2022

Arquivo Internet 

A Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) repudia a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que formou maioria, nesta quinta-feira (15), para manter a decisão que suspendeu a aplicação do piso salarial nacional para profissionais de enfermagem.

A NCST apoia a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde (CNTS) que manifestou sua contrariedade à decisão liminar do ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que suspendeu a Lei 14.434/2022, que estabelece o piso salarial da enfermagem.

Na sua decisão, o ministro estabeleceu prazo de 60 dias para que entes públicos e privados da área da saúde detalhem o impacto financeiro, o risco de demissões e uma possível redução na qualidade dos serviços ante a aplicação da nova lei.

A CNTS ingressou como amicus curiae para atuar como representante dos trabalhadores da enfermagem na Corte: “É preciso que o Congresso e o governo federal façam o dever de casa e busquem fontes de financiamento. Espero que essas fontes apareceram! Inclusive dia 21, quarta-feira, vamos às ruas mostrar que a categoria não aguenta mais, estamos no fio da navalha. A categoria está entristecida, mas infelizmente era esperado que a liminar fosse mantida. Para nós não muda a nossa estratégia de pressão para que as fontes de custeio apareçam. A categoria não vai aceitar nenhum tipo de retrocesso. O Legislativo e o Executivo precisam se resolver para o bem de todos”, enfatizou o presidente da CNTS, Valdirlei Castagna.

“Acredito que o momento é de enfrentamento, de luta aguerrida, porque se nós quisermos que o parlamento sinta a responsabilidade, nós temos que ser mais agressivos parando os hospitais e os serviços básicos para que eles entendam que o Congresso zombou da nossa cara. O momento é de luta e deveríamos ir para uma greve geral da enfermagem, independente de multa, do que o Judiciário for fazer, para mostrar a nossa indignação. Precisamos aproveitar o momento histórico que a enfermagem está unida para ir ao embate”, disse Dejamir Soares, enfermeiro e diretor da NCST-MT.

“A enfermagem, que tem uma importância histórica para a saúde brasileira, cuidou de 34 milhões de pacientes infectados pela Covid-19 e aplicou 522 milhões de doses de vacinas contra a doença, portanto, precisa e merece ser melhor remunerada. O fortalecimento e melhoria das condições de trabalho de toda equipe da enfermagem reverte em benefícios para toda a sociedade, fortalecimento o Sistema Único de Saúde A segunda maior categoria do país merece respeito e valorização! ”, trecho da nota emitida pela CNTS sobre a suspensão do piso salarial da enfermagem.
 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

Endereço: SAUS Quadra 04 Bloco A Salas 905 a 908 (Ed. Victória) - CEP:70070-938 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000

Back to Top