08 DE MARÇO: EM REPORTAGEM ESPECIAL, SISEPE-TO FALA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA MULHER NO ÂMBITO SINDICAL

Data de publicação: 8 Mar 2022

 
Nesta terça-feira, 08 de março, comemoramos o Dia Internacional da Mulher, uma data simbólica cujo principal objetivo é recordar a luta pelos direitos das mulheres em todas as partes do mundo e o quanto precisamos avançar para por fim a violência e as desigualdades que as mulheres são vítimas. Na ocasião, o Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (SISEPE-TO) chama a atenção para a participação feminina nas atividades sindicais e na luta pelos direitos da categoria. Uma participação que vem crescendo ao longo dos anos e fazendo a diferença.
 
Segundo dados do cadastro do Sindicato, atualmente, o SISEPE-TO possui 5.838 servidores públicos tocantinenses sindicalizados. Desses, a maioria é de mulheres: são 3.043 sindicalizadas, um percentual que chega a quase 53%.
 
Outro dado importante diz respeito ao crescimento da participação das mulheres como membros da Diretoria, o que demonstra que as mulheres também querem participar na linha de frente do Sindicato, dando a sua contribuição. “Ver o crescimento da taxa de sindicalização entre as mulheres, bem como a ampliação da participação delas nos cargos da Diretoria é algo que nos orgulha e que não podemos deixar de comemorar. A mulher, quando ela chega com a sua visão e a sua força, ela traz para o ambiente sindical uma colaboração muito grande. Temos, atualmente, 11 mulheres na nossa Diretoria, entre diretoras e suplentes. Não é o número ideal, mas podemos dizer que avançamos e que esse número vem crescendo, na medida em que as mulheres têm mais acesso a informação e aceitam o desafio de ingressar no universo sindical”, contou o presidente do SISEPE-TO, Cleiton Pinheiro.
 
MULHERES NA DIRETORIA
Membro da Diretoria Executiva, Ana Maria Cortes Franco é servidora pública concursada desde 2002, mãe de três filhos e ocupa o cargo de Diretora de Comunicação e Relações Públicas. “O que me fez entrar no Sindicato foi querer dar a minha contribuição, colaborando para fortalecer essa rede de apoio que o Sindicato proporciona para as mulheres servidoras públicas por meio de uma assessoria jurídica especializada, dos convênios que nos dão descontos no comércio local e principalmente através de uma atuação sindical destemida, em busca de manter os direitos atuais e conquistar novos”, contou Ana Maria. Ela também disse que sente à vontade nas reuniões da Diretoria e nas demais atividades sindicais e que nunca passou por nenhuma situação de constrangimento, como sindicalista, pelo fato de ser mulher.  
 
Outra mulher forte dentro da Diretoria do SISEPE-TO é Vanusia Machado de Oliveira Carneiro, Diretora de Assuntos Regionais da Regional do Bico do Papagio. Vanusia mora em Araguatins e tem 33 anos de efetivo serviço público. “Eu sou mulher, sou servidora pública, sou esposa, sou mãe de 2 filhos, cuido da minha mãe que tem 74 anos e também sou avó do Joaquim, de 2 meses. Não é fácil conciliar todos esses papeis, mas eu me desdobro para dar conta porque sei o quanto é importante a mulher dar a sua contribuição na luta pelos direitos da categoria”, destacou Vanusia.
 
Diferente de Ana Maria, Vanusia conta que já sofreu discriminação por ser mulher e sindicalista. “Já sofri bullying ao ser chamada de ‘mulher-macho’ porque sou uma mulher que tenho iniciativa, que chego e resolvo as situações. Quer dizer que só o homem pode dar sua contribuição? A mulher não pode? Me senti muito mal, mas, isso não me abala. Eu sigo em frente, tentando cumprir o meu papel e conscientizar todas as mulheres próximas a mim, inclusive a minha filha, de que nós temos que ter iniciativa e que precisamos lutar pelo que acreditamos”, pontuou a diretora do SISEPE-TO no Bico do Papagaio.
 
DESAFIOS
A servidora pública Luciana Cardoso Monteiro de Cerqueira, mora em Almas, é extensionista rural do Ruraltins e suplente de Diretor de Assuntos Regionais do SISEPE-TO na Região Sudeste. Ela conta que quando foi convidada para fazer parte do Sindicato teve receios e pensou em não aceitar. “Pensei em não aceitar, pois seria mais uma atividade para conciliar, além das que já tinha. Além de mãe, esposa e funcionária pública. Mesmo assim, achei que poderia contribuir e aceitei. Estou feliz porque estou conseguindo me dividir e cumprir a missão”, contou.
 
Outra reflexão para este dia internacional da mulher vem da diretora Sindical de Base do SISEPE-TO para a Tecnologia de Informação, Valéria Pereira Mota. “Acho que as mulheres ainda são pouco participativas, muitas falam que não têm tempo, que têm família, etc. Eu também tenho tudo isso. Todas nós temos. Agora, é importante que nós, mulheres, saibamos compreender que a nossa contribuição muda o mundo, muda o Brasil, muda a nossa cidade, muda o nosso ambiente de trabalho. Quando a mulher está presente, tudo fica mais organizado, a mulher consegue ver além”, enfatizou Valéria.
 
Ela diz que gostaria de ver mais mulheres na linha de frente dos Sindicatos, das Associações, das entidades classistas de forma geral. “Eu vejo que existe essa abertura para a mulher contribuir, mas muitas vezes, é a própria mulher que não quer, não se dispõe. A gente tem que dedicar um tempo para colaborar com a sociedade, é importante. Nós temos muito a contribuir”, disse. Valéria participa ativamente de várias entidades classistas, é presidente da Associação dos Servidores da Agricultura e Pecuária (ASSAGRO-TO) há 4 mandatos e integra o Grupo Mulheres do Brasil, cujo objetivo é estimular a participação feminina na construção de um Brasil melhor.
 
Questionada sobre as possíveis dificuldades no caminho como mulher sindicalista, a Diretora de Base do SISEPE-TO no Ruraltins, Geane de Sousa Rodrigues, afirma que estar na linha de frente das atividades sindicais é um desafio gratificante. “Não é fácil porque como mulher temos muitos papeis. Mesmo assim, com coragem a gente enfrenta e é muito gratificante estar envolvida nessa luta pela categoria, podendo contribuir com os nossos colegas, sendo uma ponte entre eles e o Sindicato, podendo falar por eles e representá-los”, explicou. Geane é concursada desde 2005, extensionista rural, mãe de um filho e, atualmente, também preside a Associação dos Servidores da Extensão Rural (ASSER-TO).
 
É PRECISO AVANÇAR
Na região extremo norte do Tocantins, especificamente em Tocantinópolis, vive Cassia Maria da Silva Freitas. Ela é diretora Sindical de Base da SEFAZ, em Tocantinópolis, nomeada pelo presidente Cleiton Pinheiro. Ela conta que vê a nomeação como um reconhecimento do SISEPE-TO pelo trabalho que ela já realizava na cidade, participando ativamente das mobilizações, lutando pelas reivindicações, buscando esclarecer dúvidas dos colegas e até mesmo acionando o jurídico do Sindicato quando preciso.
 
Cassia diz não gostar muito da comemoração do dia da mulher e explica por quê. “Pra mim, na prática, os discursos não condizem com a realidade. Como mulher e servidora pública, não vejo as políticas de valorização se concretizarem. Continuamos ganhando menos, ocupando menos cargos de chefia e não há explicação aceitável para não vermos nossos direitos adquiridos serem efetivados. Na verdade, estamos cansadas de esperar. Temos demandas em pauta há mais de 12 anos que nunca foram solucionadas. É preciso avançar”, criticou a diretora de base do SISEPE-TO em Tocantinópolis.
 
Ao ser perguntada sobre qual presente escolheria receber no dia da mulher, sendo algo que contemple todas as servidoras públicas do Tocantins, Cássia é certeira. “Se eu pudesse escolher o presente para hoje, certamente seria o pagamento dos nossos direitos atrasados”, pontuou ela, ao se referir, principalmente, às datas-bases e progressões atrasadas.
 
Servidora efetiva desde 2000, Cássia também é casada, mãe de dois filhos adolescentes e assistente administrativo lotada na Secretaria da Fazenda. (Assessoria de Comunicação SISEPE-TO)
 
SAIBA MAIS SOBRE A PARTICIPAÇÃO FEMININA NO SISEPE-TO
 
Sindicalizadas
3.043 (atualizado em 07/03/2022)
 
Na Diretoria
ANA MARIA CORTES FRANCO
Diretora de Comunicação e Relações Públicas
 
LUCIANA CARDOSO MONTEIRO DE CERQUEIRA
Suplente de Diretor de Assuntos Regionais da Região Sudeste
 
ANA CÉLIA SILVA
Suplente de Diretor de Assuntos Regionais da Região Norte
 
VANÚSIA MACHADO DE OLIVEIRA CARNEIRO
Diretora de Assuntos Regionais da Região do Bico do Papagaio
 
HEIDE ELISE WEHMANN
Diretora Sindical de Base no Naturatins
 
KÉSSIA AUGUSTA GOMES DE SANTANA SOARES
Suplente de Diretora Sindical de Base no Naturatins
 
VANUZA SANTOS NERES ROCHA
Vice-diretora Sindical de Base na Secretaria da Cidadania e Justiça
 
VALÉRIA PEREIRA MOTA
Diretora Sindical de Base de Tecnologia de Informação
 
GEANE DE SOUZA RODRIGUES
Diretora Sindical de Base no Ruraltins

Fonte: Assessoria de Comunicação SISEPE-TO


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

Endereço: SAUS Quadra 04 Bloco A Salas 905 a 908 (Ed. Victória) - CEP:70070-938 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000

Back to Top