NCST participa de reunião com Lula para discutir revisão da reforma trabalhista

Data de publicação: 12 Jan 2022

A Nova Central Sindical de Trabalhadores Trabalho (NCST) participou, na tarde desta terça-feira (11), de uma reunião, em formato híbrido, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), representantes do governo espanhol, das Centrais Sindicais e economistas, para debater a revisão da reforma trabalhista, em vigência desde o governo Temer, com base na experiência espanhola. 
 
Foto: Ricardo Stuckert

O fim da reforma trabalhista, em vigor desde 2012, no país europeu motivou a reunião, que discutiu a possibilidade de um novo acordo trabalhista nos moldes do que foi feito na Espanha. Já que o diálogo social tripartite (governo, empresários e sindicatos de trabalhadores) funcionou por lá. 

Em movimentação política, Lula afirmou que essa foi a primeira de muitas reuniões para elaboração da proposta de revisão da reforma trabalhista de Temer. “A Espanha é um exemplo extraordinário. A relação do movimento sindical espanhol e brasileiro é histórica. Esta reunião é memorável para os sindicalistas. Precisamos conquistar, novamente, os nossos direitos e viver num país mais justo. Em que o trabalhador tem garantia de emprego para cuidar da sua família”, afirmou o ex-presidente. 

Em participação virtual, José Luis Escrivá, ministro de Seguridade e Migrações, e Adriana Lastra, vice-secretária geral do PSOE, partido do presidente do governo da Espanha, Pedro Sánchez, responderam as dúvidas sobre a criação do novo acordo trabalhista. Escrivá ainda aproveitou para ressaltar durante sua apresentação que políticas sociais e trabalhistas caminham juntas: “É preciso desenvolver políticas econômicas para uma sociedade mais justa e inclusiva. Reforma que diminui direitos, diminui salários, para gerar empregos é uma falácia”, enfatizou.  
 
Foto: Ricardo Stuckert

A reforma que não gerou empregos 

Em 2017, a reforma trabalhista prometia a criação de milhões de empregos para sua aceitação popular. Porém, conforme consta no artigo assinado pelas Centrais Sindicais publicado nesta segunda-feira (10), durante os governos de Michel Temer (2016 a 2018) e de Jair Bolsonaro (desde 2019), as taxas de desemprego bateram recordes, atingindo 12,7% em 2017, 12,2% em 2018, 11,9% em 2019, 13,5% em 2020 e 12,6% em 2021. 

“Sob o argumento que os trabalhadores eram muito caros, que não pagando os direitos poderia aumentar os salários. A massa salarial caiu. O reajuste não cobre sequer a inflação”, ponderou o ex-presidente Lula, que mencionou ainda a perda de direitos em outros países da América Latina. 
 
Foto: Ricardo Stuckert 

Renovação do Congresso Nacional 

O primeiro vice-presidente da NCST, Moacyr Tesch, representando o presidente Professor Oswaldo Augusto de Barros, citou as dificuldades da classe trabalhadora no Congresso Nacional: “Muitas questões apresentadas pelos companheiros da Espanha, já foram experiências boas por aqui: valorização do estudo, ingresso nas universidades, criação de escolas técnicas, dentre outras. E na próxima eleição precisamos ter uma bancada que retome isso, que dê respaldo aos nossos projetos, independentemente de partido. Porém não é fácil defender os direitos trabalhadores, nos atacam de todas as formas. Mas não desistimos da luta. A NCST se coloca à disposição e deseja saber ainda mais do acordo feito na Espanha. Acreditamos no contrato social do empregador com a sociedade. Sabemos que é possível”.


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

Endereço: SAUS Quadra 04 Bloco A Salas 905 a 908 (Ed. Victória) - CEP:70070-938 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000

Back to Top