Com desemprego, inflação e desconfiança em alta, FGV revê projeções para baixo

Data de publicação: 29 Nov 2021


A estimativa para o PIB do ano que vem, por exemplo, caiu de 1,5% para 0,7%. Um quarto das famílias de menor renda está endividado

 
Foto: Reprodução


Apesar do eterno otimismo estampado nas declarações de Paulo Guedes e afins, o cenário da economia brasileira é preocupante. E desse modo, leva a revisões das habituais projeções, especialmente para 2022 – que é ano eleitoral. O Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV), por exemplo, prevê crescimento menor para este ano e o próximo. A confiança das empresas e das pessoas também cai, e a entidade espera um 2022 no mínimo “desafiador”.

Segundo os professores e pesquisadores Armando Castelar Pinheiro e Silvia Matos, do FGV Ibre, indicadores recentes confirmam expectativa de baixo crescimento no terceiro trimestre. São esperados resultados negativos no comércio e na indústria, enquanto o setor de serviços é exceção. Dados do IBGE corroboram essa observação. Assim, a alta do PIB deste ano foi revista para baixo (4,8%) e a de 2022, de 1,5% para 0,7%.


Economia parada


Quando muito, o resultado do PIB de 2021 vai de certa forma compensar a queda do ano anterior (-4,1%, a maior da série do IBGE). O país vem acumulando resultados fracos, mostrando quadros de recessão ou estagnação. Os dados do terceiro trimestre deste ano serão divulgados em 2 de dezembro.

“A exceção nesse quadro de queda na confiança setorial era o setor de serviços, cuja evolução favorável vinha sendo a boa notícia deste final de ano. Também esta, porém, começa agora a dar sinais de enfraquecimento”, diz boletim do Ibre-FGV. “A forte aceleração inflacionária e a piora das condições financeiras são fatores determinantes para esse quadro de deterioração do cenário econômico doméstico.” A inflação oficial no Brasil, medida pelo IPCA-IBGE, já atinge os dois dígitos no acumulado.

“O espalhamento das pressões inflacionárias desancora as expectativas e torna a tarefa da autoridade monetária mais desafiadora, exigindo juros mais altos para conter o avanço dos preços, o que por outro lado contribui para arrefecer o crescimento da economia, dificultando a geração de empregos e renda”, afirmam ainda os analistas.


Incerteza e pessimismo


Além disso, eles citam a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição 23, a PEC dos Precatórios, como fator de incerteza fiscal, tornando o cenário e as projeções para 2022 ainda mais “nebulosos”. Com pedido de vista coletiva, a discussão no Senado foi postergada.

Já a confiança na economia parece estar abalada, conforme prévia divulgada pelo FGV Ibre. O Índice de Confiança Empresarial recuou 2,5 pontos em setembro, teve leve alta no mês seguinte (0,4) e agora caiu 4,3, para 96 pontos. Já o índice referente ao consumidor perdeu 6,5 em setembro, avançou 1 ponto em outubro e agora ficou praticamente estável (-0,1), “passando a melancólicos 76,2 pontos”. A escala vai até 200.

Segundo o FGV, até um quarto das famílias de menor renda, aquelas com rendimento mensal de até R$ 2.100, se apresentam como endividadas. “Grande parte teve alguém na família que perdeu o emprego, essas famílias tipicamente já esgotaram seus recursos de poupança quitando despesas, percebem os efeitos da inflação mais alta e registram a maior proporção desde o início da série histórica dos que definem sua situação orçamentária atual como ‘endividado’ (24,5%).” Entre as maior renda (acima de R$ 9.600), essa taxa cai para 6,4%.


Clique AQUI e confira o boletim mensal produzido pelo FGV Ibre



Fonte: Rede Brasil Atual - RBA
 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

Endereço: SAUS Quadra 04 Bloco A Salas 905 a 908 (Ed. Victória) - CEP:70070-938 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000

Back to Top