Causas ligadas ao trabalho matam quase 2 milhões de pessoas por ano

Data de publicação: 20 Set 2021


AVCs e doenças cardíacas associadas ao excesso de horas trabalhadas subiram, respectivamente, 41% e 19%, entre 2000 e 2016. No total, ambas causaram 750 mil óbitos em 2016

 
Um número bem acima da média de mortes relacionadas ao trabalho ocorre no Sudeste Asiático e no Pacífico Ocidental - Foto: Pixabay


De acordo com um levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgado na sexta (16), doenças e lesões relacionadas ao trabalho foram responsáveis por 1,9 milhão de mortes em 2016 no mundo.

A maioria dos óbitos relacionados ao trabalho foram decorrentes de doenças respiratórias e cardiovasculares e o principal fator de risco, entre 19 listados no relatório, é a exposição a longas jornadas de trabalho.

Segundo o documento, óbitos por doença do coração ou por acidentes vasculares cerebrais (AVCs) associados ao excesso de horas trabalhadas subiram, respectivamente, 41% e 19%, entre 2000 e 2016. No total, os AVCs causaram 400 mil mortes e as doenças cardíacas, 350 mil.

“É chocante ver tantas pessoas literalmente sendo mortas por seus empregos”, disse o diretor-geral da OMS Tedros Adhanom Ghebreyesus. “Nosso relatório é um alerta para que países e empresas melhorem e protejam a saúde e a segurança dos trabalhadores, honrando seus compromissos de fornecer cobertura universal dos serviços de saúde e segurança ocupacional.”


Mortes evitáveis e trabalho


Um número bem acima da média de mortes relacionadas ao trabalho ocorre no Sudeste Asiático e no Pacífico Ocidental, atingindo especialmente homens e pessoas com mais de 54 anos.

O relatório observa que o total de doenças relacionada ao trabalho provavelmente é substancialmente maior, uma vez que a perda de saúde decorrente de vários outros fatores de risco ocupacionais ainda deve ser quantificada no futuro. De acordo com o estudo, os efeitos da pandemia de covid-19 devem dar outra dimensão ao cenário em estimativas futuras.

Além das longas jornadas, o levantamento também levou em conta outros fatores como a exposição no local de trabalho à poluição do ar, elementos de risco ergonômicos e ruído.

“Essas quase 2 milhões de mortes prematuras são evitáveis. É necessário agir com base nas pesquisas disponíveis para barrar o aumento das ameaças à saúde relacionadas ao trabalho”, disse a diretora do Departamento de Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Saúde da OMS Maria Neira. “Dentro do espírito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, saúde e trabalho devem trabalhar juntos, de mãos dadas, para garantir que este grande fardo de doenças seja eliminado.”

Para o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, os fatores de risco podem ser eliminados com mudanças nos padrões de trabalho. Ele pede a governos e a empregadores que tomem medidas para reduzir a exposição a esses riscos.




Fonte: Rede Brasil Atual - RBA com informações de Agência ONU e OIT

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top