Novos casos de Covid só são superados pelo pior momento da pandemia, em agosto

Data de publicação: 10 Dez 2020



Brasil reverte tendência de queda de casos e mortes por covid-19 registrada entre setembro e outubro, mas governo segue sem apresentar plano de vacinação. OAB aciona STF por compra de vacinas aprovadas no exterior


 
Curva de mortes mostra um intenso crescimento desde o dia 11 de novembro. A média móvel de sete dias registrada hoje, de 640 mortes, é a maior desde o dia 6 de outubro



por Gabriel Valery



A pandemia de covid-19 segue em crescimento no Brasil, fez mais 836 mortes e registrou 53.453 novos casos nas últimas 24 horas. Foi o dia com maior número de doentes oficiais desde o dia 12 de agosto, no até então pico epidemiológico no país. Com os registros desta quarta-feira, já são 178.955 mortos e 6.728.452 infectados desde o início do surto, março. As informações são do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass).

A curva de mortes mostra um intenso crescimento desde o dia 11 de novembro. A média móvel de sete dias registrada hoje, de 640 mortes, é a maior desde o dia 6 de outubro. Com o avanço das últimas semanas, o Brasil reverte uma breve tendência de queda de casos e mortes registrada, especialmente, em outubro. Isso, sem contar com a intensa subnotificação. De acordo com cientistas, o número de mortes e casos são, seguramente, maiores.

Enquanto isso o Brasil segue sem um plano detalhado de vacinação contra a covid-19. Isso coloca o país em uma situação especialmente delicada e em uma posição de atraso. A Europa já inicia vacinação em massa, a Argentina e o Chile estão em preparativos para começar em breve o processo de imunização. No Brasil, as vacinas seguem alvo de disputa política e omissão do governo do presidente Jair Bolsonaro, que desde o início da pandemia ridiculariza, faz piada e minimiza a pior crise sanitária da humanidade em mais de 100 anos.

 
Curvas de casos e mortes revelam forte crescimento. Fonte: Conass – 09/12/2020


Negacionismo e morte


Diante da conduta desastrada de Bolsonaro ante a pandemia, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entrou com ação no Supremo Tribunal Federal para garantir um plano mínimo de vacinação para a população. Entre diferentes pedidos, a OAB pede a aquisição de vacinas que possuam registro em agências regulatórias do exterior. Isso porque existe a suspeita de que a Anvisa, aparelhada por Bolsonaro, dificulte a aprovação de vacinas.

“Cada dia importa, cada dia que nossa campanha de vacinação e imunização não está nas ruas significa centenas, se não milhares, de vidas brasileiras perdidas. Nós não temos o direito de omissão ou mesmo incompetência nesse momento histórico”, disse o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz.

O Congresso também pode votar nesta quinta-feira (10) um projeto que obriga o Executivo a comprar vacinas contra a covid aprovadas por agências internacionais. O jogo político de Bolsonaro pode afetar também a principal vacina em desenvolvimento no Brasil, a CoronaVac, que tramita em protocolos científicos em fase final. O imunizante está sendo desenvolvida pelo Instituto Butantã, de São Paulo, e a farmacêutica chinesa Sinovac. O presidente está em franca disputa política com o governador paulista, João Doria (PSDB), ambos privilegiando seus projetos políticos para 2022.




Fonte: Rede Brasil Atual - RBA

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top