Estudo da UFRJ comprova ‘efeito Bolsonaro’ na propagação do coronavírus

Data de publicação: 15 Out 2020



Cidades onde o presidente teve maior número de votos são também as mais afetadas pela expansão da covid-19. Efeito Bolsonaro está relacionado a descaso no combate ao vírus


 
Estudo indica que discurso ambíguo do presidente induza partidários a comportamento de risco e sofrer consequências



Quanto mais votos o município deu para Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2018, maior o percentual de sua população atingida pela covid-19. Estudo realizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) identificou que há correlação entre a preferência do eleitorado pelo atual presidente e a expansão da doença mortal causada pelo novo coronavírus – é o efeito Bolsonaro. O levantamento da UFRJ foi realizado em parceria com o Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD). Para chegar ao resultado, foram cruzados os dados de expansão da doença com o resultado na votação em primeiro turno nas eleições nos 5.570 municípios brasileiros. O estudo destaca: a covid-19 causa mais estragos nos municípios mais favoráveis a Bolsonaro.

Assim, a cada 10 pontos percentuais de votos para o ex-capitão, sobe 11% o número de adoecimentos e 12% os mortos pela covid-19, informa reportagem da Folha de S.Paulo. “Podemos pensar que o discurso ambíguo do presidente induza seus partidários a adotarem com mais frequência comportamentos de risco (menos respeito às instruções de isolamento e distanciamento social, lavar as mãos com frequência e uso da máscara, por exemplo) e sofrer as consequências”, explica o levantamento sobre o efeito Bolsonaro.

“A argumentação que usamos no nosso artigo é que provavelmente trata-se de um efeito da própria postura do presidente, que minimizou o uso de máscara e a doença, chamando-a de gripezinha”, disse o professor João Luiz Maurity Saboia, um dos pesquisadores.


Outros estudos


Outras universidades apuraram resultado semelhante em estudos realizados sobre esse tema. Há influência comprovada de Bolsonaro sobre o comportamento de seus eleitores.

Pesquisa da Universidade Federal do ABC, da Fundação Getúlio Vargas e da USP aponta que todas as vezes que Bolsonaro minimizou a pandemia, a taxa de isolamento social caiu e mais pessoas se contaminaram, com aumento também do número de mortes. A proporção é maior nos municípios onde o ex-deputado carioca recebeu mais votos para presidente da República.

O levantamento feito pela UFRJ constatou também que quanto mais trabalho informal em uma cidade, mais mortes por covid-19 ocorrem.




Fonte: Rede Brasil Atual - RBA 


 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top