Centrais reforçam campanha para auxílio emergencial de R$ 600,00

Data de publicação: 15 Set 2020





A pandemia agravou o desemprego, a miséria e a fome de milhões de brasileiros. As Centrais Sindicais estão preocupadas. Para tanto, lançam nesta semana campanha nacional pra pressionar o Congresso a votar a Medida Provisória 1.000/20, que estende o Auxílio Emergencial até dezembro (saiba mais).

A MP, publicada em 3 de setembro pelo governo Bolsonaro, amplia a duração do benefício até dezembro, mas reduz pela metade o valor. Ou seja, cai pra R$ 300,00.

Com o mote “Nenhum real a menos”, as entidades querem convencer deputados e senadores a mudar a proposta do governo. Elas defendem que o valor seja alterado e volte pra R$ 600,00.

Ricardo Patah, presidente da UGT, ressalta: “Vamos fortalecer a campanha pra garantir os R$ 600,00, que têm sido fundamentais pra evitar a fome e não agravar ainda mais a crise econômica”.

Os dirigentes também buscam reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para tratar da importância de votar a MP. Os sindicalistas denunciam a intenção do governo de impedir que a MP seja apreciada no Congresso. Com isso, a Medida caducará em 120 dias, que é a duração do pagamento de R$ 300,00 até dezembro.

Assinaturas – Presidente da Força Sindical, Miguel Torres explica que a campanha vai percorrer a periferia, fábricas e empresas com um abaixo-assinado. A ideia é utilizar também as redes sociais pra coletar adesões. “A população pobre é a mais afetada. Vamos fazer uma grande mobilização. No momento em que os preços dos alimentos sobem, o governo corta o valor do benefício pela metade? É injusto”, critica Miguel.

CTB – Adilson Araújo, presidente da CTB, reforça os impactos positivos que o benefício de R$ 600,00 teve na demanda interna, sobretudo nos municípios menores e mais pobres. “O tombo da economia seria mais forte sem o colchão criado no mercado consumidor pelo Auxílio aprovado em março pelo Congresso”, comenta.

Adilson lembra que o valor de R$ 600,00 foi conquistado por pressão do movimento sindical. Isso impediu que milhões de pessoas caíssem na miséria. “O valor de R$ 600,00 criou uma proteção econômica efetiva às famílias mais vulneráveis. Ajudou também a sustentar o consumo de bens e serviços essenciais”.




Fonte: Agência Sindical 

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top