Brasil registra recorde de covid-19 em 24 horas e passa de 90 mil mortos

Data de publicao: 30 Jul 2020



País registra 1.664 mortos em 24 horas. Novos casos no período também batem recorde: 72.377


 
Brasil tem mais de mil mortos por dia há mais de um mês. Neste período, o país segue como epicentro da pandemia no mundo



por Gabriel Valery



A pandemia de covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, segue cada vez mais letal no Brasil. Nas últimas 24 horas foram registradas 1.664 mortes, número mais alto desde o início do surto, em março. Já são 90.134 vidas perdidas. As informações são do Conass, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde e foram divulgadas no início da noite desta quarta (29).

O número de casos também tem um novo pico. No último período, foram registrados 72.377 novos doentes. Com o acréscimo, o país tem 2.553.265 infectados. A curva epidemiológica no Brasil segue em crescimento.

 
Dados divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass)



A curva de contágio da covid-19 nunca deixou de subir. Uma estabilidade – em números elevados – registrada no início do mês de julho, chamado de platô, foi utilizado pelo poder público como justificativa para suspender as já leves medidas de proteção e isolamento social. O resultado vai aparecendo nos dados atuais.

O Brasil tem oficialmente mais de mil mortos por dia há mais de um mês. Neste período, o país segue como epicentro da pandemia no mundo. Diferentemente de alguns países, que tiveram medidas intensivas de isolamento social e viram descer os números de infectados e mortos, o Brasil nunca adotou essa postura e, portanto, não teve a redução.

Outro aspecto importante é a subnotificação da covid-19. O Brasil é um dos países que menos testa no mundo, em proporção per capta. Essa tendência tende a se intensificar, à medida que o vírus segue um trajeto para o interior. Longe dos grandes centros urbanos, a capacidade de medicina diagnóstica é ainda mais deficiente.


Sem expectativa


O Brasil é o segundo país mais afetado pelo vírus, atrás apenas dos Estados Unidos. Entretanto, enquanto os norte-americanos realizam cerca de 120 testes para cada positivo, este índice não chega a quatro testes para cada positivo no Brasil.

Já no cenário latino-americano, o Brasil desponta como o mais problemático. Enquanto 11 países somam pouco mais de 45 mil mortos, aqui são 90 mil, duas vezes mais.

Enquanto o governo Bolsonaro despreza a ciência, o Brasil está desde o dia 15 de maio sem ministro da Saúde. A pasta é comandada interinamente por um militar sem experiência na área.

Já os governadores e prefeitos que, inicialmente, adotaram um discurso de mais responsabilidade, já o abandonaram. Enquanto a pandemia de covid-19 segue cada vez mais letal, as fracas medidas de isolamento social seguem sendo suspensas. Governadores como João Doria (PSDB), do estado mais afetado pelo vírus, São Paulo, seguem com a intenção de forças a suspensão das medidas, até para o retorno dos professores e alunos às salas de aula.

 
Estados brasileiros mais afetados pela covid-19




Fonte: Rede Brasil Atual - RBA 

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top