No dia em que Bolsonaro anuncia contágio, Brasil tem 45.305 novos casos de covid-19

Data de publicação: 8 Jul 2020



Brasil chega a 66.741 mortos pela covid-19. Mesmo infectado, Bolsonaro segue minimizando a pandemia, que segue em crescimento




Bolsonaro minimizou novamente a covid-19, doença a qual é portador



O Brasil volta a registrar elevação no número de casos e mortos pela covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Nas últimas 24 horas, foram 1.254 vítimas, além de 45.305 novos doentes. Com os acréscimos, já são 66.741 brasileiros mortos pela doença e 1.688.589 infectados. Os dados são do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass).

Após semanas sucessivas em que as notícias sobre Jair Bolsonaro envolveram escândalos de corrupção e desmando em seu governo e sua família, o presidente volta a dar atenção para a pandemia. Isso porque nesta terça-feira (7) ele anunciou estar com a doença, após meses afirmando, repetidamente, que a covid-19 não passava de “uma gripezinha”, entre outras falas desligadas da realidade e cruéis.

Mesmo infectado, a postura de Bolsonaro segue sem alteração. Ao convocar parte da imprensa para se declarar contaminado, Bolsonaro chegou a tirar a máscara em frente aos jornalistas. Diante da ação, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) disse que o presidente “agiu de forma criminosa” contra os repórteres.




Dados diários informados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass)



Descontrole



O Brasil segue como epicentro da doença no mundo e lidera o número de casos e mortos diários há mais de um mês. Nos números globais, o país só é menos afetado do que os Estados Unidos. Entretanto, o país norte-americano testa muito mais, o que leva a uma maior precisão nos diagnósticos. De fato, cientistas alertam que o Brasil é um dos países que menos testa casos suspeitos no mundo.

Mesmo diante do cenário ameaçador, o Brasil segue desde 15 de maio sem ministro da Saúde. Atualmente, a pasta é controlada de forma interina por um militar que nunca atuou na área da saúde, o general Eduardo Pazuello. Antes dele, Bolsonaro demitiu dois ministros, Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich. O primeiro, por defender o isolamento social, e o segundo, por discordar do “milagre” da cloroquina.




Fonte: Rede Brasil Atual - RBA 

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top