Epicentro da covid-19 no mundo, Brasil passa de 65 mil vítimas do coronavírus

Data de publicação: 7 Jul 2020



A pandemia com alta letalidade persistente no Brasil difere de outros países, como os asiáticos, europeus e outros vizinhos da América Latina




Brasil é um dos países que menos faz testes de covid-19 e o segundo mais infectado, oficialmente



por Gabriel Valery
edição de Fábio M. Michel




O Brasil ultrapassou a marca de 65 mil mortos pela covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. São 65.487, de acordo com balanço desta segunda-feira (6) do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Já o número oficial de infectados é de 1.623.284.

Nas últimas 24 horas, foram registrados 620 mortos e 20.229 novos casos. O número, apesar de mais baixo do que os últimos dias da última semana, mostra tendência de manutenção da curva epidemiológica em alta. Isso porque os dados das segundas-feiras tendem a ser defasados, pois menos profissionais da saúde trabalham aos domingos. Com isso, menos notificações chegam às autoridades sanitárias e são atualizados a partir da terça.



Aumento de casos de covid-19 no Brasil por semana



Com a manutenção da curva epidemiológica em tendência de estabilidade no número de mortos e ascensão no número de casos, o Brasil é o epicentro do vírus no mundo, posto que ocupa há mais de um mês. A pandemia tem alta letalidade no Brasil, diferentemente de países asiáticos, europeus e vizinhos da América Latina.


Casos de covid-19 em São Paulo se concentram em áreas onde trabalhadores não pararam



Descaso



Antes de ser afetado pelo novo coronavírus, o país teve tempo de sobre para se preparar. A doença chegou na América Latina pelo menos três meses após efeitos devastadores na Europa e na Ásia. Entretanto, nada foi feito para controlar o contágio. Alguns estados que chegaram a adotar medidas – – fracas – de isolamento social, como São Paulo, foram duramente atacados pelos seguidores da ideologia anticientífica de Bolsonaro e já recuam dos cuidados com suas populações.

O resultado já é possível de notar pelo aumento na curva de casos nas últimas semanas. O Brasil é o segundo país mais afetado do mundo, atrás dos Estados Unidos mas, no país, a curva cresce de forma mais acelerada nas últimas semanas.

O cientista político e professor da Universidade de Columbia Unidos Iam Bremmer resume a análise dos dados entre os dos países. “O Brasil continua fazendo com que a resposta dos Estados Unidos ao coronavírus pareça, comparativamente, competente.”

Mesmo uma das medidas mais “suaves” de controle do vírus, o uso de máscaras, amplamente adotado no mundo, encontra resistência no Brasil. E também nos Estados Unidos de Donald Trump. Entretanto, no país latino, o presidente se manifestou por meio legal contra o uso do instrumento protetivo. Bolsonaro vetou a obrigatoriedade das máscaras em lugares fechados.

Já nos Estados Unidos, mesmo com casos isolados de pessoas resistentes ao uso de máscaras, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças Contagiosas (CDC), autarquia governamental, reforça a necessidade do uso de máscaras. “O uso de máscaras é chamado de controle de fonte. Essa recomendação é baseada no que a ciência conhece sobre disseminação de doenças por vias respiratórias”, afirmou a instituição por nota.

Já o distanciamento social segue como principal medida contra o vírus. Entidades nacionais e internacionais assim reconhecem. No Brasil, universidades federais e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) seguem na defesa da medida. Nos Estados Unidos, a Universidade Johns Hopkins, maior centro de especialidade em doenças transmissíveis do país, insiste: “O vírus é transmitido por contato próximo. Quanto mais distância, melhor. Se não for possível, usar barreiras (máscaras)”.








Fonte: Rede Brasil Atual - RBA 

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top