Brasil soma mais 1.086 mortos pela covid-19 em 24 horas. Casos passam de 400 mil

Data de publicao: 28 Maio 2020



Brasil é o segundo país com maior número de infectados, atrás somente dos Estados Unidos. Mesmo com subnotificação, novos casos oficiais no período foram 20.559




São Paulo é o epicentro da pandemia no Brasil. Mesmo assim, governo anunciou plano de reabertura



A pandemia do novo coronavírus provocou mais 1.086 mortes oficialmente registradas nas últimas 24 horas no Brasil, país que tornou-se o atual epicentro da infecção no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), já que o número de mortes diárias supera o de outros polos da doença.

O Brasil é também o segundo país do planeta com maior número de infectados, com 411.821 casos confirmados, atrás somente dos Estados Unidos, que registram 1.730.136 casos. Em terceiro, mas já bastante afastado, a Rússia registra 370.680 doentes.

No período, segundo boletim do Ministério da Saúde desta quarta (27), foram reportados 20.599 novos casos da doença, o que evidencia que a curva epidemiológica no país segue em crescimento. Além disso, a taxa de mortalidade do vírus no Brasil está em 6,2% dos casos, porcentagem superior à média global, que fica entre 2% a 3%. Um dos fatores para tal é a baixa quantidade de testes realizados. A subnotificação é realidade no país.


Epicentro


A região mais afetada do país segue sendo o Sudeste, com 151.376 casos registrados e 7.692 mortos. Já o epicentro local é o estado de São Paulo, que soma 89.483 casos e 6.712 mortos. Na sequência vem o Rio de Janeiro, com 42.398 doentes confirmados e 4.605 mortos.

O estado fluminense, porém, alterou a forma de registro das mortes, um dia depois de o número de óbitos em 24 horas ter sido maior que em São Paulo. Agora, para uma morte ser registrada oficialmente como causada pela covid-19, o atestado de óbito deve afirmar que o vírus foi a causa principal; retirando da conta mortos com comorbidades e outras complicações.

Mesmo com a situação desfavorável de São Paulo, o governo estadual, capitaneado por João Doria (PSDB), anunciou no início da tarde um programa de reabertura gradual dos serviços. A ação preocupa a comunidade médica e especialistas em epidemiologia. Um dos primeiros lugares que passarão pela abertura é o interior do estado. Mesmo tendo o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmado que as cidades interioranas serão os novos focos da doença.

Após o Sudeste, a região mais afetada é o Nordeste. São 141.706 infectados e 7.692 mortos. Em seguida vem o Norte, com 86.978 doentes e 5.036 mortos; o Sul, com 18.132 casos e 497 mortos; e o Centro-Oeste, com 13.629 infectados e 305 mortos.



Fonte: Rede Brasil Atual - RBA


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top