Em pronunciamento nacional, Bolsonaro ataca imprensa e volta a chamar coronavírus de gripezinha

Data de publicação: 25 Mar 2020



Ignorando alertas da OMS e evidências científicas, o presidente ainda defendeu o fim do isolamento social







por Lucas Rocha



O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento em cadeia nacional nesta terça-feira (24) minimizando o surto do novo coronavírus, atacando os meios de comunicação e governadores e repetindo que há uma “histeria” em torno de uma “gripezinha”.

Bolsonaro disse que começou a enfrentar o novo coronavírus desde a chegada dos brasileiros que estavam quarentenados em Wuhan. Segundo o ex-capitão, ele e o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, lutaram “quase contra tudo e contra todos”.

Para Bolsonaro, os meios de comunicação “espalharam a sensação de pavor” no Brasil e promoveram o que ele chamou de “histeria” no país. O presidente mais uma vez minimizou a doença que já matou mais de 16 mil pessoas nos últimos três meses. Segundo ele, a realidade que afeta a Itália não será a mesma no Brasil por conta do clima – o que não é comprovado cientificamente.

Indiretamente, ele atacou o Jornal Nacional – ao citar um pedido de “calma” feito pelos âncoras do telejornal – e a TV Globo, usando o médico Dráuzio Varella, que em janeiro havia apontado que o cenário no Brasil seria outro em razão de pesquisas que circulavam naquela época.

O presidente mais uma vez mostrou-se mais preocupado com a economia do que com o contágio da doença e defendeu que se voltasse à normalidade do país. “Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. Devemos sim voltar à normalidade. Algumas autoridades devem abandonar medidas de isolamento”, afirmou, atacando governadores e negando orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“O que se passa no mundo mostra que o grupo de risco são as pessoas maiores de 60 anos. Não tem por que fechar escolas”, disse ainda o ex-capitão. Segundo a OMS, crianças já morreram em razão do novo coronavírus.

No pronunciamento, que durou cerca de 4 minutos, Bolsonaro ainda voltou a citar a cloroquina como uma possível cura da doença, exaltando o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. “Acredito em Deus que irá capacitar médicos e pesquisadores”, disse ainda.


Clique AQUI e acesse a nota de repúdio do Conselho Federal de Enfermagem - Confem ao pronunciamento do presidente Bolsonaro 


Trump


O pronunciamento do presidente brasileiro seguiu na mesma linha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que defendeu em entrevista nesta quarta-feira (24) que o país volte ao normal. Segundo a OMS, os EUA devem ser o novo epicentro da pandemia do novo coronavírus. O país já registra mais de 50 mil casos e 703 mortes.


Casos no Brasil


O Ministério da Saúde divulgou 310 novos casos de coronavírus no Brasil nesta quarta-feira, totalizando 2.201 pacientes infectados e 46 mortos. O índice de casos por 24h é menor do que os registrados nos dois últimos dias.

O “freio”, que “achata” a curva de infectados, pode ter acontecido por dois motivos: a restrição na circulação de pessoas por parte dos governos estaduais – criticada por Bolsonaro – ou a desaceleração no número de pessoas testadas em razão da limitação no número de exames.


Panelaço


O pronunciamento também rendeu mais um grande panelaço contra o mandatário. Pessoas de diversas cidades foram às janelas para manifestar rechaço ao ex-capitão.



Fonte: Revista Fórum 

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top