Governadores de 20 estados criticam Bolsonaro por não contribuir ‘para o avanço da democracia’

Data de publicação: 19 Fev 2020



Documento assinado por governadores ligados a 11 partidos reage a hostilidade de Bolsonaro contra Rui Costa (PT-BA) e a tentativa de alterar estrutura tributária sem diálogo




Maioria do Fórum Nacional de Governadores, que voltará a se reunir em abril. advertiu Bolsonaro



Carta de 20 governadores, de 11 partidos, divulgada nesta quarta-feira (17) responde ao presidente Jair Bolsonaro por ultrapassar os “limites institucionais”. O documento do Fórum Nacional de Governadores, assinado pela maioria dos 27 mandatários, critica a conduta de Bolsonaro por hostilizar o governador da Bahia, Rui Costa (PT), e por tentar impor uma política tributária sem respeitar o pacto federativo.

“Recentes declarações do presidente da República Jair Bolsonaro confrontando Governadores, ora envolvendo a necessidade de reforma tributária, sem expressamente abordar o tema, mas apenas desafiando Governadores a reduzir impostos vitais para a sobrevivência dos Estados, ora se antecipando a investigações policiais para atribuir fatos graves à conduta das polícias e de seus Governadores, não contribuem para a evolução da democracia no Brasil”, diz a carta, que é assinada por:


- Belivaldo Chagas, Sergipe (PSD);
- Camilo Santana, Ceará (PT);
- Eduardo Leite, Rio Grande do Sul (PSDB);
- Fátima Bezerra, Rio Grande do Norte (PT);
- Flávio Dino, Maranhão (PCdoB);
- Gladson Cameli, Acre (Progressistas);
- Helder Barbalho, Pará (MDB);
- Ibaneis Rocha, Distrito Federal (MDB);
- João Azevêdo, Paraíba (Cidadania-PB);
- João Doria, São Paulo (PSDB);
- Paulo Câmara, Pernambuco (PSB);
- Reinaldo Azambuja, Mato Grosso do Sul (PSDB);
- Renan Filho, Alagoas (MDB);
- Renato Casagrande, Espírito Santo (PSB);
- Romeu Zema, Minas Gerais (Novo);
- Rui Costa, Bahia (PT);
- Waldez Góes, Amapá (PDT);
- Wellington Dias, Piauí (PT);
- Wilson Lima, Amazonas (PSC);
- Wilson Witzel, Rio de Janeiro (PSC-RJ).


A manifestação rebate ataques de Bolsonaro a Rui Costa, devido à ação policial que resultou na morte de Adriano da Nóbrega. O presidente atacou o governador baiano e culpou a polícia daquele estado pela morte do ex-policial de elite, investigado por relações com a milícia no Rio de Janeiro e próximo da família Bolsonaro. “Quem é o responsável pela morte do capitão Adriano? PM da Bahia, do PT”, afirmou Bolsonaro, em evento no sábado (15).

Citando haver necessidade de “equilíbrio, sensatez e diálogo“, os chefes de Executivos estaduais convidam Bolsonaro para a reunião do Fórum Nacional de Governadores marcada para 14 de abril.


Clique AQUI e acesse a íntegra da carta




Fonte: Rede Brasil Atual - RBA 

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top