Privatização da Petrobras vai na contramão do resto do mundo

Data de publicação: 7 Out 2019



Venda da empresa compromete economia e segurança energética do país, segundo professor de relações internacionais.







por Geisa Marques



A Petrobras é uma das empresas que está na mira do pacote de privatizações do governo de Jair Bolsonaro (PSL). Em agosto deste ano, o presidente afirmou que "estuda privatizar qualquer coisa no Brasil", incluindo a estatal petrolífera, que completou 66 anos na quinta-feira (03).

O cientista político e professor de relações internacionais na Universidade Federal do ABC (UFABC) Igor Fuser apontou, em entrevista à Rádio Brasil de Fato, que o movimento realizado pela atual gestão coloca em risco a segurança energética do país.

Ele explica que o Brasil se situa na contramão do que fazem outros países, principalmente os de grande porte e que exercem influência internacional, como China, Estados Unidos e Rússia. Essas nações, segundo Fuser, ao contrário do que faz o governo brasileiro, têm buscado fortalecer seu posicionamento na questão da energia.

“A Petrobras conseguiu, ao longo dos anos, resolver os problemas de abastecimento de energia do Brasil. A energia é vital para a economia, para segurança e para o bem-estar de qualquer país no mundo.Você não encontra em nenhum outro lugar uma política de destruição da própria empresa nacional de petróleo como a que é feita no Brasil”, critica.

A Petrobrás é a sétima maior produtora de petróleo do mundo, com produção de 1,9 milhões de barris por dia. Nos últimos cinco anos, de todo patrimônio estatal privatizado no Brasil, 50% pertencia à Petrobras.

Fuser classifica o processo de privatização da estatal como um “crime contra o Brasil”. Ele ressalta que a empresa é um patrimônio do povo brasileiro e que sua defesa não é uma bandeira política ligada somente à esquerda.

Sua criação, como lembra o cientista político, foi resultado de mobilização que envolveu diversos setores da sociedade, entre estudantes, conservadores, intelectuais e militares.

“Estão destruindo o maior patrimônio econômico do povo brasileiro. É um esquartejamento, um desmonte total, que envolve a venda de dutos, das distribuidoras, de postos de gasolina e unidades do setor petroquímico”, pontua.

O pioneirismo da Petrobras no desenvolvimento de tecnologias próprias para a exploração do pré-sal também foi ressaltado por Igor Fuser para demonstrar a importância da empresa no cenário nacional. As reservas situadas em águas ultraprofundas estão entre as mais importantes descobertas em todo o mundo na última década.

“Até agora o único lugar do mundo onde existe esse tipo de petróleo, nas profundezas do subsolo do mar, é no litoral brasileiro, e a Petrobras foi pioneira. O resultado é que, em poucos anos, a Petrobras estava obtendo mais da metade do petróleo fornecido e consumido no Brasil do pré-sal”, acrescenta.

A intenção de privatizar a estatal do petróleo remonta ao governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). O plano foi interrompido durante os governos petistas (2003-2016) e retomado após o golpe contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Sob o governo Michel Temer (MDB), a possibilidade de venda começou ainda em 2016 na gestão de Pedro Parente e, agora, o discurso segue adiante com o pacote de privatizações do governo Bolsonaro, encabeçado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.




Fonte: Brasil de Fato

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top