Dirigentes da NCST participam de ato público no Senado contra a ‘reforma’ da Previdência

Data de publicação: 3 Set 2019


Secretário-geral da NCST, Moacyr Tesch, discursando na tribuna do evento



Dirigentes da Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST participaram, nesta terça-feira (03/09), de ato público contra a “reforma” da Previdência que lotou as dependências do auditório Petrônio Portela do Senado Federal. O evento, convocado pelos senadores Randolfe Rodrigues (REDE), líder da Minoria no Senado, Paulo Rocha (PT), líder do Bloco Parlamentar da Resistência Democrática, Humberto Costa, líder do PT e Paulo Paim (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Previdência Social; reuniu parlamentares, especialistas em Previdência, economistas, auditores fiscais, lideranças sociais e sindicais que apresentaram sugestões ao texto que, se permanecer inalterado, resultará em “prejuízos sociais incalculáveis” à classe trabalhadora.




Vice-presidente da NCST/DF, Vera Leda ao lado do presidente da NCST/DF, José Marcus Monteiro de Oliveira



Clique AQUI e acesse o convite dos parlamentares
 


A PEC da Previdência está tramitando na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. Na última quarta-feira (28), O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) apresentou seu relatório defendendo a aprovação da matéria. A votação na CCJ está prevista para a próxima quarta-feira (4).
                                                                               
O secretário-geral da NCST, Moacyr Roberto Tesch Auersvald, integrou a mesa de debatedores e, na tribuna, solicitou unidade entres as centrais sindicais em ações conjuntas de pressão política nos gabinetes, restaurantes, clubes e demais ambientes frequentados pelos senadores, “de preferência nas suas respectivas bases eleitorais”. Moacyr denunciou a quebra do contrato social da Previdência e convocou reação ao desmonte de direitos trabalhistas e sociais em curso.


Assista:







O secretário-geral da NCST aproveitou a oportunidade e compartilhou ao senador Paulo Paim, projeto de interesse dos trabalhadores de transportes elaborado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres - CNTTT, entidade filiada à Nova Central. Nomeado “Estatuto do Motorista”, a proposta visa consolidar leis que aprimorem proteção do motorista profissional
.



Epitácio Antônio dos Santos, representante da CNTTT; Moacyr Tesch, representante da NCST e o senador Paulo Paim (PT-RS)



O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade - Contratuh e dirigente sindical da NCST, Wilson Pereira, também ocupou a tribuna e lamentou o pesado investimento em campanhas a favor da “reforma” da Previdência em tempos de contingenciamento de recursos para áreas estratégicas como educação e saúde. O líder sindical encerrou seu discurso argumentado que existem caminhos ao equilíbrio fiscal bem menos penosos que a tentativa de inviabilizar as aposentadorias de milhões de trabalhadores, mas que é preciso pressionar a classe política para que essas alternativas, já amplamente debatidas nas comissões parlamentares, sejam consideradas.




Wilson Pereira, Presidente da Contratuh e Diretor Secretário Adjunto da NCST



Os especialistas e parlamentares revezaram-se nos discursos e desconstruíram a versão oficial de que a chamada “reforma” da Previdência é “imprescindível” para a retomada do desenvolvimento econômico. A dívida pública não auditada, as operações compromissadas, a arrecadação tributária regressiva, os juros bancários exorbitantes e as altas taxas de remuneração do capital improdutivo foram apontados como os problemas centrais do desequilíbrio fiscal que, se atacados com olhar social, podem criar ambiente favorável à geração de empregos, aumentado a base de contribuintes da Previdência e fortalecendo sua sustentabilidade financeira.






O congelamento dos investimentos primários por 20 anos, resultante da Emenda Constitucional 95, foi apontado como o gargalo legislativo que impede a retomada do crescimento econômico, por inviabilizar que o Estado seja indutor das cadeias produtivas tocando obras de infraestrutura e saneamento; bem como engessa o incremento de investimentos em Educação, Saúde e políticas públicas sociais, imprescindíveis para o desenvolvimento nacional.

Ao final da exposição dos painelistas e dos parlamentares, os participantes comprometeram-se a seguir mobilizados e promovendo ações contra o desmonte da Previdência nas ruas, nas redes sociais e nos gabinetes parlamentares, denunciando os adversários de um modelo de previdência público, universal e de solidariedade entre gerações.




Imprensa NCST

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top