Estudo sobre orçamento escancara obsessão de Bolsonaro por cortes em áreas sociais

Data de publicação: 19 Jul 2019



Habitação, educação, defesa nacional e direitos da cidadania são as áreas mais afetadas pelo contingenciamento total de R$ 31 bilhões neste ano.




Habitação desponta com um corte de 90,64% dos recursos, uma cifra que pode significar o fim do programa criado nas gestões do PT no governo federal



Quem ainda não se convenceu de que o espírito do governo de Jair Bolsonaro é voltado para o corte de direitos sociais e educação precisa dar uma olhada no levantamento que o Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) fez sobre os contingenciamentos do governo federal neste ano. O estudo apresentado na terça-feira (16) é baseado em dados do Portal do Orçamento do Senado. Habitação, educação, defesa nacional e direitos da cidadania são as áreas mais afetadas pelo contingenciamento total de R$ 31 bilhões neste ano, por meio de três decretos publicados pelo governo, em fevereiro, março e maio.

Habitação desponta com um corte de 90,64% dos recursos, uma cifra que pode significar o fim do programa criado nas gestões do PT. “Tal medida significou, na prática, o desaparecimento do Programa Minha Casa Minha Vida, que está passando por um processo de revisão e foi noticiado que só dispõe de recursos até julho”, afirma o Inesc na nota de divulgação do estudo.

Em segundo lugar entre os maiores impactos, a área de Direitos da Cidadania teve seu orçamento reduzido em 27,10%. “Neste setor estão as políticas relacionadas com defesa dos direitos de minorias e setores vulneráveis da sociedade, como mulheres, população indígena e negra, migrantes, consumidores e pessoas com deficiência. Os programas que mais sofreram com cortes nessa função foram ‘Justiça, Cidadania e Segurança Pública’, e ‘Proteção e Promoção dos Direitos dos Povos Indígenas’, que tiveram seus orçamentos contingenciados em 44,9% e 32,86%, respectivamente”, destaca o Inesc.

A área de educação vem sofrendo com cortes desde 2015, mas neste ano o contingenciamento sequestrou 4,99% do orçamento – um montante de R$ 5,84 bilhões do total de R$ 117,10 bilhões. Esse corte é expressivo porque representa 18,81% do todo o contingenciamento realizado pelo governo.

A defesa também viu seu orçamento encolher, em R$ 5,8 bilhões: 19% do total contingenciado. Essa área teve aumento de gastos governamentais entre 2014 e 2018, principalmente no que se refere a despesas com pessoal. O contingenciamento, porém, não se voltou para o gasto com pessoal, e sim em investimentos de material bélico.


Clique AQUI e confira o estudo completo 




Fonte: Rede Brasil Atual - RBA

 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top