NCST debate sobre Benefícios Previdenciários e Contribuição Sindical na Câmara dos Deputados

Data de publicação: 15 Maio 2019



O Diretor de Finanças da Nova Central Sindical de Trabalhadores - NCST e presidente da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil - CSPB, João Domingos Gomes dos Santos, participou, nesta terça-feira (14/05), da Audiência Pública Ordinária da Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados convocada para debater Medidas Provisórias (MP's) que alteram a concessão de Benefícios Previdenciários (MP 871/2019) e Contribuição Sindical (MP 873/2019). Parlamentares, representantes do governo, lideranças sindicais, advogados trabalhistas e especialistas em Previdência colaboraram com as discussões em torno dos temas.

Além das discussões relacionadas às MP’s em debate, o representante da NCST denunciou do governo que, ao não observar o Decreto Presidencial Nº 9751, de 21/11/2018, prossegue executando conjunto de infrações às exigências que permitem a inclusão do Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), uma das principais agendas econômicas do governo Bolsonaro.


Assista a participação do representante da NCST:



 


A estratégia de tolher fontes de financiamento das entidades sindicais, foi amplamente denunciada na audiência que, na avaliação dos representantes da classe trabalhadora, tem por objetivo enfraquecer a capacidade de reação a uma agenda de desmonte de direitos trabalhistas e sociais.

A redução de recursos destinados à proteção social, objetivo maior MP 871/2019, favorece, na leitura de especialistas e lideranças sindicais, a diminuição do poder de compra das famílias, reduzindo a capacidade de consumo de bens e serviços. Tal estratégia, denunciam, inviabiliza as cadeias produtivas do país, comprometendo, com isso, a possibilidade de aumento da oferta de empregos formais e, por tabela, acarreta redução da base de arrecadação da Previdência Social. Os debatedores denunciaram que tal agenda, favorece ambiente propício à ampliação de contratações informais e trabalhos autônomos, por fora das tributações e da proteção social estabelecidas na CLT.

Convidados denunciaram que as Medidas Provisórias, somadas, representam uma “reforma” da Previdência indireta. “Mecanismo espúrio” para encurtar o caminho do desmonte da Previdência e da desproteção social.





“A Medida Provisória 871/2019, é a estratégia do governo para assegurar a meta de ‘contingenciamento’, por fora de uma aprovação da PEC 873/2019, que necessita de uma votação mais expressiva para ser aprovada no Congresso Nacional. Ao dificultar o acesso a benefícios Previdenciários, o governo reduz, por meio de critérios subjetivos, a base de beneficiários, inviabilizando a aposentadoria de milhões de trabalhadores que, por meio de alterações nas regras para concessão de aposentadorias, estarão sujeitos ao limbo da miséria e da desproteção social. Ambas MPs (871 e 873) desrespeitam convenções internacionais ratificadas pelo país, denunciaremos esse descalabro”, afirmou a advogada Zilmara Alencar, assessora jurídica da NCST.









Imprensa NCST
 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top