Verdades ditas dia 29/9/ 2015 por Francisco Calazans

Data de publicao: 16 Nov 2015


Objetivos do Capitalismo Injusto: A avidez do lucro irresponsável e distanciada dos interesses sociais identifica-se com o nefasto desejo de arrefecer a organização sindical por meio da terceirização da mão de obra e da negação das prerrogativas dos sindicatos contidas no Artigo 513 da CLT, dentre elas a que figura na alínea “E” que autoriza a imposição de contribuições a todos os trabalhadores (as) integrantes da categoria profissional.

É uma pena que o Ministério Público do Trabalho (MPT) não consiga entender isso, pelo menos por parte de grande número de seus membros que invocam a autonomia funcional pessoal para acionar judicialmente os sindicatos, cujas assembleias gerais tenham aprovado a contribuição.

Quando se trata atender ao interesse patronal, comete-se a aberração jurídica de privilegiar-se um Precedente do TST, que afronta expresso texto legal, no caso o Artigo 513 da CLT, e acolhe-se a maior das interferências do STF, que transforma a Emenda de texto constitucional apresentada por um deputado constituinte e que foi vencida na Plenária Nacional Constituinte, em texto válido e eficaz, através da Súmula Nº 666, esquecendo-se, propositadamente a convicção jurídica de que “Todo Poder Emana do Povo” e a vontade do povo se revela na Assembleia Nacional Constituinte.

Conclusão: O Capitalismo selvagem, irresponsável, desvirtua todas as instituições pertinentes ao Estado Democrático de Direito.

Terceirização: O fornecedor de mão de obra garante ao tomador uma significativa redução de custo; para aferir o máximo de lucro, precariza salário e condições de trabalho. Isto comprova o duplo prejuízo dos trabalhadores (as).

Os defensores da terceirização guardam consigo resquícios dos escravocratas de antes de 1988. Por eles o Brasil jamais alcançariam o Estado Democrático de Direito, pois trilharia o caminho que conduz ao Estado Aristocrático Escravagista.

A propalada “Regulamentação” não pode ir além de permitir terceirização aos casos especialíssimos. Até porque não se regulamenta ilegalidade, ilicitudes, posto que tolerância tenha limites.
 
 
O fato de o Poder Público preferi-la em lugar do concurso público, é a prova mais clara de que o mundo está sendo governado por uma classe imbecil. A outra prova são as guerras atuais.

O aperfeiçoamento da relação capital e trabalho pressupõe a aproximação humanista entre trabalhador e patrão. A terceirização é o avesso dessa aproximação humanista. Logo é a prova maior de um nefasto retrocesso civilizatório.

Será que os defensores da terceirização teriam coragem de consultar o Papa Francisco sobre o assunto?

O humanismo sugere que se dignifique o trabalho como forma de aperfeiçoamento humano. Terceirizar mão de obra é a negação dessa perspectiva.

Tomara que essa mobilização comandada pelo Senador Paulo Paim sirva de força conscientizadora da classe trabalhadora, inclusive para concluir que a escolha do próximo Presidente da República inclui esse nobre senador.

Que tal um Presidente negro na República Brasileira?
 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top