::: NCST - NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES :::

MANIFESTO DEMOCRACIA

10 Jan 2023

GOLPISMO E TERRORISMO JAMAIS


A Nova Central vem a público manifestar veemente repúdio aos atos terroristas, golpistas e antidemocráticos, ocorridos no dia 08 de janeiro de 2023. Planejados, desencadeados e executados, em grande parte, por apoiadores/as fanáticos/as e extremistas aliados do ex-presidente Jair Messias Bolsonaro e, que, sob nenhuma hipótese podem ser confundidos ou tratados com auras constitucionais da liberdade de expressão e manifestação.

De igual forma, destacamos o seguinte trecho da decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) proferida nos autos do Inq 4879/DF que decidiu pelo afastamento do Governador do DF: "Absolutamente nada justifica a omissão e conivência do secretário de Segurança Pública e do governador do Distrito Federal com criminosos que, previamente, anunciaram que praticariam atos violentos contra os Poderes constituídos".   

Diante do disposto na referida decisão manifestamos total indignação à leniência, omissão e conivência do governo do Distrito Federal (GDF) e das forças de segurança por ele comandada, o que permitiu vandalizar e destruir, pela prática de atos terroristas, parte de um dos principais patrimônios público e arquitetônico do planeta, além de tentar impor uma fissura emblemática de fraqueza na estrutura democrática brasileira ao invadir e depredar, externa e internamente, os símbolos (sedes) da República expressos na praça dos Três Poderes.

A truculência histórica a sindicalistas e líderes populares se contrastou com a intimidade da PM do GDF com terroristas golpistas. Cenas repercutidas, espalhadas mundialmente, com selfies e vídeos carinhosos, ternos, revelam um acinte, um deboche à Democracia e aos preceitos constitucionais. A desmoralização consciente das forças de segurança pública fica para a história como uma mácula, um desserviço que o GDF e sua polícia, pedagogicamente, fez ao país, uma vergonha Nacional.

Sabemos que o movimento sindical surge e permanece entre as principais trincheiras ativas para garantir a Democracia. Junto com o sufrágio universal, o sindicalismo é um agente social determinante para que o Estado possibilite a soberania popular, cumpra o seu papel, elimine ou impeça extremismos golpistas – ditaduras e tiranias –  e jamais permita qualquer pacto social no qual a crueldade da desigualdade e da injustiça prevaleçam como uma realidade estatal imposta, prevalente desde o processo golpista, em 2016, e, que, novamente, toma expressão como um devir nos atos terroristas de 08/01/2023, razão pela qual:

Nossa solidariedade incondicional e plena ao povo brasileiro e o compromisso pela manutenção da unidade sindical e classista na manutenção e no fortalecimento da Democracia;

Nossa solidariedade cívica e institucional às lideranças e membros dos Três Poderes da República, externando, desde já, apoio às iniciativas e medidas ora tomadas, além de outras que se fizerem necessárias e urgentes para se restabelecer o bem comum, o pleno equilíbrio e condições dignas ao convívio social;

Que em toda ação com vistas à garantia da soberania popular, o primado constitucional vigore e demarque a efetividade do pleno exercício da Democracia e não a sua conflagração;

Que todos os/as envolvidos/as com o terrorismo, vandalismo e atos golpistas, principalmente as lideranças empresariais financiadoras e mandantes – diversas criminalmente já praticantes de assédio eleitoral em 2022 – e àqueles/as com prerrogativas de proteger e garantir a Lei e ordem social, sejam punidas exemplarmente na forma da Lei e da Constituição, arcando integralmente com a reparação e os danos causados ao erário e ao patrimônio público;

Que a soberania do voto se constitua uma marca das determinações vigentes e futuras, porque nela está manifesto o anseio popular que elegeu o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o Congresso Nacional.

Por fim, a Nova Central, suas entidades filiadas, as lideranças que a compõem e os milhões de trabalhadores e trabalhadoras que representam, com a ciência de que 90% da população brasileira é contrária a qualquer ato golpista, terrorista ou afronta à democracia, têm total convicção de que ao se depredar as estruturas físicas do Estado, não se deteriora o poder e a força constituída que estabeleceu e estabelece a história da Democracia, por isso se somam a unidade das forças e instituições que primam por uma nação soberana e verdadeiramente democrática.  

Brasília, 09 de janeiro de 2023

Pela Diretoria
Moacyr Roberto Tesch Auersvald
Presidente Interino da NCST  


 
    Copyright 2021 NCST | Desenvolvimento: Techblu.com