Data de publicação: 19 Fev 2020



Documento assinado por governadores ligados a 11 partidos reage a hostilidade de Bolsonaro contra Rui Costa (PT-BA) e a tentativa de alterar estrutura tributária sem diálogo




Maioria do Fórum Nacional de Governadores, que voltará a se reunir em abril. advertiu Bolsonaro



Carta de 20 governadores, de 11 partidos, divulgada nesta quarta-feira (17) responde ao presidente Jair Bolsonaro por ultrapassar os “limites institucionais”. O documento do Fórum Nacional de Governadores, assinado pela maioria dos 27 mandatários, critica a conduta de Bolsonaro por hostilizar o governador da Bahia, Rui Costa (PT), e por tentar impor uma política tributária sem respeitar o pacto federativo.

“Recentes declarações do presidente da República Jair Bolsonaro confrontando Governadores, ora envolvendo a necessidade de reforma tributária, sem expressamente abordar o tema, mas apenas desafiando Governadores a reduzir impostos vitais para a sobrevivência dos Estados, ora se antecipando a investigações policiais para atribuir fatos graves à conduta das polícias e de seus Governadores, não contribuem para a evolução da democracia no Brasil”, diz a carta, que é assinada por:


- Belivaldo Chagas, Sergipe (PSD);
- Camilo Santana, Ceará (PT);
- Eduardo Leite, Rio Grande do Sul (PSDB);
- Fátima Bezerra, Rio Grande do Norte (PT);
- Flávio Dino, Maranhão (PCdoB);
- Gladson Cameli, Acre (Progressistas);
- Helder Barbalho, Pará (MDB);
- Ibaneis Rocha, Distrito Federal (MDB);
- João Azevêdo, Paraíba (Cidadania-PB);
- João Doria, São Paulo (PSDB);
- Paulo Câmara, Pernambuco (PSB);
- Reinaldo Azambuja, Mato Grosso do Sul (PSDB);
- Renan Filho, Alagoas (MDB);
- Renato Casagrande, Espírito Santo (PSB);
- Romeu Zema, Minas Gerais (Novo);
- Rui Costa, Bahia (PT);
- Waldez Góes, Amapá (PDT);
- Wellington Dias, Piauí (PT);
- Wilson Lima, Amazonas (PSC);
- Wilson Witzel, Rio de Janeiro (PSC-RJ).


A manifestação rebate ataques de Bolsonaro a Rui Costa, devido à ação policial que resultou na morte de Adriano da Nóbrega. O presidente atacou o governador baiano e culpou a polícia daquele estado pela morte do ex-policial de elite, investigado por relações com a milícia no Rio de Janeiro e próximo da família Bolsonaro. “Quem é o responsável pela morte do capitão Adriano? PM da Bahia, do PT”, afirmou Bolsonaro, em evento no sábado (15).

Citando haver necessidade de “equilíbrio, sensatez e diálogo“, os chefes de Executivos estaduais convidam Bolsonaro para a reunião do Fórum Nacional de Governadores marcada para 14 de abril.


Clique AQUI ( https://www.ncst.org.br/images_news/files/carta-governadores-pdf(1).pdf ) e acesse a íntegra da carta




Fonte: Rede Brasil Atual - RBA