Data de publicação: 21 Out 2019





O senador Paulo Paim (PT-RS) anunciou na quinta-feira (17) a realização de mais duas audiências públicas para discutir a reforma da Previdência (PEC 6/2019). Os debates ocorrerão na segunda-feira (21) e na terça (22) pela manhã, já que à tarde está marcada a votação da matéria em segundo turno pelo Plenário. O senador, que preside a Comissão de Direitos Humanos (CDH), garantiu que o "jogo ainda não terminou" e é importante que os senadores compreendam que esta é "a reforma da Previdência mais cruel de todos os tempos".

Paim destacou que no debate ocorrido nesta quarta-feira (16) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), especialistas argumentaram ( https://www12.senado.leg.br/16/especialistas-divergem-sobre-os-calculos-do-governo-para-justificar-a-reforma-da-previdencia ) que os cálculos referentes ao déficit da Previdência basearam-se em números manipulados, totalmente errados. O senador lembrou que o fator previdenciário não foi levado em conta, como se todos os trabalhadores se aposentassem com salário integral, quando os benefícios na verdade são reduzidos em praticamente de 30 a 40%.

Outra questão apontada por Paim é o fato de que a dívida de grandes empreendedores junto à União já se aproxima de R$ 3 trilhões, de acordo com reportagem recente do jornal O Globo. Para o senador, se fossem recuperados 50% desse valor, o governo arrecadaria a quantia de R$ 1,5 trilhão.

— Daria muito mais do que eles querem economizar em 10 anos com a reforma, que vai ser em torno de R$ 800 bilhões. Hoje o cálculo [do governo] é de R$ 800 bilhões — declarou Paim, que também mencionou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), segundo os quais aumentaram, entre 2017 e 2018, a desigualdade social e a parcela da população na pobreza absoluta.


Clique na imagem abaixo e assista a intervenção do senador no plenário do Senado:


 

( https://www12.senado.leg.br/multimidia/evento/91415?h=14:06:47 )




Fonte: Agência Senado