Data de publicação: 15 Ago 2019





Na manhã desta quarta-feira (14/08), trabalhadoras rurais de todo o país caminharam até o Congresso Nacional em Brasília, reivindicando por mais políticas públicas voltadas ao campo. A manifestação é conhecida como Marcha das Margaridas. Realizada a cada quatro anos desde 2000, em Brasília, a Marcha é uma ação ampla e estratégica das mulheres do campo, da floresta e das águas com o objetivo de conquistar visibilidade, reconhecimento social, político e cidadania plena. Elas lutam contra toda forma de exploração, dominação, violência e em favor de igualdade, autonomia e liberdade para as mulheres.







Assim, os eixos políticos da Marcha 2019 tratam da defesa da terra, água e agroecologia; da autodeterminação dos povos, com soberania alimentar e energética; valorização e fortalecimento da agricultura familiar; pela proteção e conservação da sóciobiodiversidade; por autonomia econômica, trabalho e renda; por previdência e assistência social pública, universal e solidária; por saúde pública e em defesa do SUS; educação do campo; por democracia com igualdade e fortalecimento da participação política das mulheres.







A marcha contou com a participação das mulheres agricultoras familiares, ribeirinhas, quilombolas, pescadoras, extrativistas, camponesas, quebradeiras de coco, trabalhadoras urbanas e dos movimentos feministas e mulheres indígenas.







Para a secretária para assuntos da Mulher da CNTI e NCST Sônia Zerino “a marcha foi um momento ímpar de demonstração de unidade e resistência das mulheres trabalhadoras rurais e urbanas na luta contra todos os tipos de retrocessos e garantia de direitos”.




Fonte: Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria - CNTI