Data de publicação: 31 Maio 2019


“Vivemos a intensificação do terrorismo de barragem”, alertou o Vice-Presidente da NCST e Secretário de Educação da CNTI, José Reginaldo Inácio.





A Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST e a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria – CNTI, participaram, nesta terça-feira (28/05), de audiência pública realizada na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDH) da Câmara dos Deputados, que debateu impactos econômicos e sociais resultantes do desastre da Vale no município de Brumadinho-MG. Representadas pelo Vice-Presidente da central nacional e Secretário de Educação da CNTI, José Reginaldo Inácio, as entidades se destacaram nas discussões, ressaltando o desrespeito da Vale à legislação trabalhista que, somente em dois estados – Minas Gerais e Santa Catarina – acumulam 8.189 processos trabalhistas, além do persistente descumprimento de convenções internacionais ratificadas pelo país.
 
O líder sindical também levantou dados sobre a taxa de adoecimento e letalidade entre os trabalhadores do setor de mineração. O estudos apresentados na audiência  confirmam uma incidência dessas ocorrências bem acima da média em relação ao restante da população, o que justifica, segundo Reginaldo, a necessidade de integrar essas categorias no rol das que necessitam de aposentadoria especial.
 

Assista a participação do representante da NCST e da CNTI na audiência pública da Câmara dos Deputados:
 



 
 
 

Imprensa NCST