Data de publicação: 29 Maio 2019




Na noite de terça-feira (21), centenas de servidores públicos municipais de Coxim, participaram da sessão na Câmara Municipal de Vereadores, onde foram apresentados, discutidos e aprovados, dois projetos de Lei Complementar, encaminhado pelo prefeito Aluizio São José (PSB), que reajusta o salário dos funcionários do poder Executivo do município.

Os servidores públicos municipais de Coxim pedem o afastamento do prefeito Aluizio São José, com a apresentação de faixas com os dizeres: Afastamento do Prefeito Já! Cadê Meu Pagamento? Queremos Fiscalização Já!

A Câmara Municipal de Coxim é composta por 13 vereadores. Os dois projetos de Lei Complementar foram aprovados por maioria de votos – 11 a 1 – onde apenas o vereador Sinval Batista (PSDB) votou contra. O presidente da Casa Legislativa, vereador Vladimir Ferreira, não votou.






“O Piso Nacional do Magistério, a Lei Federal 11.738 de 16 de julho de 2008, NÃO é um favor de Vereador ou Prefeito, é LEI e deve ser cumprida, foram anos de lutas dos professores e trabalhadores em educação, em Coxim os Políticos tem dificuldade em cumprir Leis e Prazos. O Prefeito Aluizio e os Vereadores feriram a Lei do Piso, pois deveria ser retroativo a Janeiro, mesmo com parcelamentos do reajuste.  Para o Administrativo o Prefeito Não vem respeitando a muito tempo, não teve a capacidade de organizar financeiramente a prefeitura durante todo esse tempo no poder, uma coisa é certa, Afundaram o Município em dividas até as próximas gerações com muita incompetência e desrespeito, por isso o gestor municipal deve ser afastado imediatamente", disse o presidente Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Coxim - Sinsmc, Paulo Monteiro.


O reajuste salarial do funcionalismo público de Coxim foi aprovado com a seguinte redação:


– Projeto de Lei Complementar nº 01/2019, que reajusta em 4,17% (quatro vírgula dezessete por cento), a partir do mês de dezembro de 2019, para o pessoal administrativo.

– Projeto de Lei Complementar nº 02/2019, que reajusta em 4,17% (quatro vírgula dezessete por cento), os vencimentos dos professores N-I, retroativo ao mês de janeiro de 2019 e em 2,17% (dois vírgula dezessete por cento) os vencimentos do magistério municipal a partir do N-II, retroativo ao mês de janeiro de 2019, e a partir de outubro de 2019 em 2,00% (dois por cento) sem retroativo.

Antes de terminar a sessão, os servidores públicos municipais de Coxim deixaram o plenário, com gritos de greve, concentrando-se na frente da Câmara Municipal de Coxim.

Sem apresentar soluções para os atrasos de pagamentos, o Prefeito Aluzio de São José(PSB) ignorou as discussões técnicas com este Sindicato, não apresentou proposta dentro do prazo que por ele mesmo foi estipulado, e também não cumpriu os compromissos firmados para a suspensão da Greve em Outubro de 2018, Greve que iniciou justamente pelos constantes atrasos de pagamentos. No Compromisso colocou-se até o Mês de Fevereiro de 2019 para organizar minimamente os atrasos.

Desde janeiro deste ano o SINSMC vem tentando ajudar o Gestor na organização da folha, varias reuniões foram feitas com a finalidade de equalizar o problema, mas em nenhuma delas a prefeitura apresentou estudos ou planilhas referente a situação, com soluções mínimas. A Câmara Municipal Coxim tentou uma manobra de isolar o Sinsmc da negociação de reposição, praticamente finalizada por este sindicato. Manobra esta onde ficou bem claro que os governantes não estão preocupados com regularização da folha de pagamento e índice de folha, perante a Lei de responsabilidade fiscal.  Os vereadores que falaram na tribuna foram vaiados em protesto a Omissão.






Situação do servidor hoje 24 de maio de 2019


- Consignados do Banco da Caixa Economia Federal estão 4 meses Atrasados (QUATRO MESES ATRASADOS) Crime de Apropriação indébita. (a Câmara de Coxim tem conhecimento e não tomou as providencias legais, diante da gravidade dos fatos)

- Consignados do Banco Bradesco S/A estão 2 meses atrasados (DOIS MESES ATRASADOS) Crime de Apropriação Indébita (a Câmara de Coxim tem conhecimento e não tomou as providencias legais, diante da gravidade dos fatos)

- Consignados dos demais bancos; em atraso.(a Câmara de Coxim tem conhecimento e não tomou as providencias legais, diante da gravidade dos fatos)

- Plano de saúde CASSEMS, em atraso constante, dificultando a negociação da renovação do plano, os servidores correm o risco de perder o convenio pela irresponsabilidade!(a Câmara de Coxim tem conhecimento e não tomou as providencias legais, diante da gravidade dos fatos)

- IMCAS em atraso, a Prefeitura Municipal de coxim tem divida com o IMCAS de mais de UM MILHÃO de Reais (a Câmara de Coxim tem conhecimento e não tomou as providencias legais, diante da gravidade dos fatos)

- Até a presente data (24 de Maio) o Município não conseguiu concluir o pagamento da folha de ABRIL de 2019.

- IMPC – a Prefeitura Não paga a parte servidor desde fevereiro, Crime de Apropriação indébita (a Câmara de Coxim tem conhecimento e não tomou as providencias legais, diante da gravidade dos fatos)

“Se a justiça não bloquear as contas da prefeitura de coxim, de maneira nenhuma, teremos pagamento em dia, a Gestão Municipal perdeu a condição de administrar o município, Precisamos de uma intervenção judicial para amenizar os prejuízos a sociedade coxinense” disse um servidor municipal.

“O reajuste Não Paga os Juros que tenho que pagar ao banco devido a irresponsabilidade desse desgoverno, como diria o antigo vereador, uma administração lesmática” relatou uma servidora municipal.

Mediante ao descaso e a Omissão da Câmara Municipal de Coxim, o Sinsmc tem buscado solução na Justiça, através do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul.

Sinsmc Lado a Lado com você Servidor!





Fonte: Diario X e Comunicação Sinsmc