Data de publicação: 21 Mar 2019




por Nailton Francisco de Souza



Na sexta-feira (22/3) no CMTC Clube, a partir das 15h00, iniciará a Campanha Salarial – 2019 do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas) que, pela conjuntura instável, exigirá muita mobilização, participação da categoria e acima de tudo muita solidariedade de classe para enfrentar os adversários e os já declarados inimigos.

As Pautas de Reivindicações que serão aprovadas e entregues aos empresários, ao Poder Público e à Câmara dos Vereadores constará além das demandas econômicas, benefícios, melhores condições de saúde e trabalho, será exigido garantia de empregos em face da licitação em andamento das linhas de ônibus da capital e a introdução de novas tecnologias no sistema de transporte.
Os temas: Reforma da Previdência (PEC – 06/2019); a Medida Provisória (MP 873) que dificulta o custeio sindical e o combate a Lei 13.467/2017 que impôs sérias desvantagens para os trabalhadores (as) nas negociações coletivas, também farão parte da luta que será travada para que conquistas históricas não sejam subtraídas em benefício dos patrões.

Somos um país extremamente desigual onde à crise se aprofunda a cada dia com taxas alarmantes de desemprego e miséria, este governo da extrema direita quer nos obrigar a trabalhar até morrer. Felizmente, o povo brasileiro já se deu conta de que a Reforma da Previdência apresentada no dia 20 de fevereiro por Bolsonaro (PSL), ataca os pobres, trabalhadores (as) e protege os políticos, militares e juízes.

Em benefício dos bancos e grandes empresários, teremos que trabalhar e contribuir por mais tempo e receber menos. Da mesma forma que nossos inimigos propagandearam em 2017, de que a Reforma Trabalhista seria vantajosa e aumentaria o nível de empregos, eles vendem que a reforma da Previdência é essencial para o Brasil e vital para o futuro.

Sabemos que esta tese defendida pela equipe econômica deste governo não passa de falácias, não salvará a economia brasileira. Trata – se de mais um ataque orquestrado pelo grande capital especulativo, banqueiros e empresários que hoje atuam aqui, e querem descarregar a crise nas costas da classe trabalhadora e dos setores oprimidos da população.

No tocante a perseguição aos sindicatos representativos, como o nosso, que não mede esforços para defender os interesses imediatos e históricos da classe trabalhadora, é preciso que cada trabalhador (a) se conscientize e ajude manter a estrutura sindical, que é uma ferramenta indispensável na luta por melhor distribuição de renda, combate da desigualdade social e manutenção da democracia participativa.

Não deixe que o governo e os patrões destruam sua entidade de classe. Faça parte deste time de vencedores. Não fique só, fique sócio e fortaleça o sindicato!



* Nailton Francisco de Souza (Porreta) é Diretor Executivo – Secretário de Assuntos dos Trabalhadores da Manutenção do Sindmotoristas – SP e Secretário Nacional de Comunicação da Nova Central.





Fonte: Portal Profissão Transportes