Data de publicação: 8 Out 2018



No Brasil, a primeira ação referente ao “Outubro Rosa” aconteceu em São Paulo, em 2002, com a iluminação do monumento Mausoléu do Soldado (Obelisco no Ibirapuera) com a cor rosa durante todo o mês de outubro. No decorrer do tempo, mais cidades brasileiras passaram a comemorar e fomentar ações voltadas à prevenção do câncer de mama e aderiram apoiar a causa, que iniciou em 1997 nas cidades de Yuba e Lodi nos Estados Unidos das Américas (USA).

Neste período realizavam ações isoladas referentes ao combate e prevenção da doença, e após uma aprovação no Congresso Americano, o mês de outubro, se tornou o mês nacional de prevenção a este tipo de câncer, e pouco a pouco foi se expandindo por diversos países do mundo. Neste mês, é comum encontrar mulheres e homens de vários seguimentos da sociedade: nas ruas, em reuniões, seminários, e em campanhas explicando a importância da prevenção.

“Procurar ajuda médica antecipadamente, que realizem o exame de mamografia que é o principal exame para diagnosticar e que deve ser realizado em mulheres entre 40 e 69 anos de idade, o índice de cura chega a 95% quando descoberto precocemente, e não esquecendo também de realizar o autoexame, que pode chegar a salvar uma vida”, orienta Kátia Rodrigues, Diretora de Assuntos da Mulher da NCST-SP.

De acordo com a sindicalista, a mulher dentro da sociedade, principalmente nos lares, dentro das famílias é o grande alicerce, é a pessoa que ajuda, cuida, e se preocupa com os demais membros. E muita das vezes esquece-se de si mesma. “Neste mês de campanha é o período que ela precisa olhar para si, e ver a importância de se prevenir, se cuidar, se permitir ter um tempo para fazer o exame”, alerta.

A previsão do Inca (Instituto Nacional de Câncer) é de que ocorram mais de 50 mil casos de câncer de mama entre mulheres no País. Esse é o segundo tipo de tumor maligno mais incidente entre as brasileiras, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Com a tripla jornada de trabalho, os afazeres do dia a dia, segundo Kátia são obstáculos que ajuda o tempo passar e a mulher não se dá conta de que aquele, pequeno caroço que apareceu sem ter importância em um dos seus seios, pode crescer,  ficar dolorido, e precisar de uma atenção maior.

“Neste mês de outubro, tenha atitude, não tenha medo, diminua um pouco o seu ritmo e procure ajuda médica, pois assim você estará cuidando não somente de si, mas também de toda a sua família. A doença não apresenta sintomas em sua fase inicial, por isso é tão difícil detectá-la precocemente. Vale lembrar que quanto antes o câncer é identificado, mais altas são as taxas de sucesso no tratamento”, finaliza Kátia.




Fonte: Nova Central Sindical de Trabalhadores no Estado de São Paulo - NCST/SP