Data de publicação: 8 Fev 2018


Ao som de milhares de trabalhadores e trabalhadoras entoando “REFORMA TRABALHISTA? AQUI NÃO!”. A assembleia extraordinária do Sindicato dos Condutores de SP aprovou paralisação no dia 19/02 contra a "reforma" da Previdência. Seguindo orientação definida com as centrais sindicais, o presidente do Sindicato dos Condutores, Valdevan Noventa, reiterou que “se botar pra votar, o Brasil vai parar”.




A plenária tirou também um plano de luta contra a "reforma" Trabalhista. Os trabalhadores e trabalhadoras da categoria se uniram para impedir a implementação das novas regras nos acordos coletivos que serão celebrados.

“Não aceitaremos nenhum proposta que retire direitos da classe trabalhadora”, declarou Noventa.




O presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores do Estado de São Paulo - NCST/SP, Luiz Gonçalves "Luizinho", esteve presente na plenária e declarou: “Neste momento, apenas a luta e a unidade dos trabalhadores e trabalhadoras será capaz de desmoralizar e enfraquecer a reforma Trabalhista. É necessária ação sindical nos locais do trabalho para evitar a efetivação dessa nova lei que quer arrochar, esmagar e humilhar a população brasileira. O que o governo Temer tenta, é pisar no trabalhador até que ele não tenha mais força para se levantar e lutar, mas o movimento sindical se mantém forte para garantir a resistência”, afirmou o líder sindical. 




Fonte: Nova Central Sindical de Trabalhadores do Estado de São Paulo - NCST/SP