Data de publicação: 11 Jan 2018



Nesta quarta-feira (10), o presidente do Sateal, Mário Jorge Filho, acompanhado da assessora jurídica, Mônica Carvalhal e dos servidores auxiliares e técnicos de enfermagem do município de Pilar, estiveram em audiência com o representante do Ministério Público Estadual, Silvio Azevedo, para denunciar uma série de irregularidades cometidas pela prefeitura do município. Uma nova reunião, dessa vez com a presença de gestores municipais, ficou marcada para a próxima terça-feira, dia 16, no Forum de Pilar.

As denúncias apontam que um grupo de servidores, lotados no mini-pronto socorro foi transferido para o hospital Nossa Senhora de Lourdes e maternidade Armando Lages, unidade privada, sob a alegação de reforma da unidade de origem, que passou a ser centro de especialidades.

Com a transferência os trabalhadores tiveram importantes benefícios suspensos. O grupo denunciou a ausência de enfermeiro supervisor no horário noturno e nos finais de semana. Os profissionais disseram ainda que não existe um tratamento “cortês” por parte da provedora.

“Esperamos que a situação desses profissionais seja resolvida o mais rapidamente possível, pois não é aceitável que servidores, em pleno direito de exercício profissional, sejam tratados de forma tão desrespeitosa. Especialmente porque a situação não é recente e a gestão municipal vem postergando a resolução do impasse”, frisou Mário Jorge Filho. 




Fonte: Sindicato dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem no Estado de Alagoas - Sateal, entidade filiada à NCST