Data de publicação: 4 Dez 2017



A prestação de contas do ano de 2016, bem como a previsão orçamentária para 2018 reuniu a diretoria executiva da Nova Central Sindical de Trabalhadores - NCST, nesta segunda-feira (4/12), em Luziânia, no Centro de Treinamento Educacional (CTE), da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria (CNTI), em Goiás, para balanço de suas atividades.



A condução da reunião ficou por conta da diretora títular do Conselho Fiscal da Nova Central, Vera Lêda Ferreira. "Fizemos algumas recomendações, levando em consideração os documentos e informações pertinentes às operações realizadas pela Entidade".



Para Braulino Sena Leite, diretor fiscal da Nova Central, a seriedade com que a NCST administra seus recursos financeiros, na condução de seus trabalhos, lhe deixa muito satisfeito com os resultados optidos. "A forma minuciosa como é feita esta análise orçamentária, faz com que minha confiança nesta diretoria seja plena", enfatizou Braulino.


José Calixto Ramos, presidente da Nova Central, aproveitou para dar destaque, em 2018, para a redução orçamentária que será feita, junto a aplicação das atividades futuras. Visto que a instabilidade econômica em que passa o país, afetou por ora as entidades sindicais e trabalhadores. "Precisamos insistir na correção de distorções existentes, e com isso, nos posicionarmos dando prioridade aos gastos pontuais. Essa decisão poderá nos conduzir positivamente rumo ao futuro".


Assuntos como: Balanço Patrimonial, Demonstração do Superávit/Déficit do Exercício, Demonstração de Fluxo de Caixa, Demonstração das Mutações do Patrimônio Social, também foram colocados em pauta. "Quero parabenizar o Conselho Fiscal da Nova Central por sua transparência e seriedade. Esta diretoria atua junto as questões financeiras, observando atentamente todos os detalhes presentes nos orçamentos. Sendo este um dos princípios fundamentais para uma boa atuação, em que pese, o direito da classe trabalhadora, as ações de resistência e alternativas para o trabalhador e a sociedade", ressaltou o vice-presidente da NCST, Arthur Bueno de Camargo.

Maria Elza Pessoa, contadora da Nova Central, seguiu a apresentação das contas contábeis de 2016, e propostas orçamentárias para 2018. Tendo em vista a análise e posterior aprovação dos participantes, por unanimidade, dos pareceres feitos pelo Conselho Fiscal da Nova Central.


Uma das áreas de grande repercussão durante a reunião foi o desmembramento do IV Congresso Nacional da Nova Central. Neste encontro foram apresentados Eixos Temáticos e Planos de Ações para os próximos anos. O trabalho foi transcrito em um livreto contendo todos os detalhes dos debates. Posteriormente eles serão transformados em plano de ação para o futuro. Este conteúdo foi aprovado por unanimidade, e teve como característica principal, a qualidade, e a consistência do que foi produzido ao longo do Congresso. "Mundo do Trabalho", "Políticas Públicas", "Sistema Político Nacional" e a "Seguridade Social": temáticas estas que marcaram todo o processo. "Apesar das dificuldades financeiras que tivemos, realizamos nosso Congresso. Apesar de tudo, falo do belíssimo trabalho desenvolvido e formulado em nossos debates", lembrou Geraldo Ramthun, diretor de relações internacionais da Nova Central.



"Estamos entrando numa importante etapa no conceito sindical. A Nova Central teverá, a partir de agora, seguir algumas orientações para exercer a sua atividade sindical. Com parâmetros e ações judiciais, para assim, conseguir antecipar etapas. Mais sei que graças ao trabalho árduo dessa diretoria iremos superar essas etapas. Acredito, acima de tudo, na nossa afirmação como entidade séria e transparente", enfatizou João Domingos Gomes, diretor de finanças da Nova Central Nacional.

O fechamento financeiro da Nova Central foi harmônico e consensuado. "Agradecemos os companheiros e toda diretoria pela consistência na execução dos trabalhos. Nunca esquecendo que trabalhamos de forma democrática, providenciando a lisura e visando resultados, apesar de ainda termos que lidar com as consequências da crise financeira do pais. Conseguiremos nos manter firmes e fortes, sem deixar de executar nenhum dos nossos planos. Encerrou o presidente da Nova Central.



Imprensa NCST