Data de publicação: 13 Nov 2017






No Dia Nacional de Luta, nesta última sexta-feira (10), mais de 10 mil trabalhadores e trabalhadoras protestaram contra a "reforma" trabalhista que entra em vigor neste sábado, na Praça da Sé, centro de São Paulo. O ato contou com a presença de militantes de todas as centrais.



“A classe trabalhadora ergue sua voz e seu punho nessa manhã, na Capital de São Paulo e de todo o país, para mostrar que não aceita a "reforma" trabalhista”, declarou o presidente José Calixto Ramos que esteve presente no evento.



“Estão tentando escravizar o trabalhador e a trabalhadora brasileira. A "reforma" trabalhista é um desmonte de direitos que já presenciamos na história do país”, afirmou Luiz Gonçalves, presidente da Nova Central – SP. “O que o Governo Temer quer é nos transformar em um país de bóias-frias”, complementou.



"As centrais sindicais permanecem fortes e unidas para continuarem defendendo os interesses da classe trabalhadora, e essa é a receita para a vitória", declaram dirigentes sindicais da Nova Central.


Fonte: NCST/SP com adaptação Imprensa Nova Central