Data de publicação: 8 Ago 2017




por Sônia Maria Zerino
 

 
Secretárias das seis centrais que integram o Fórum Nacional de Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT) definiram, nesta segunda-feira (07/08), calendário de lutas para o próximo período.

Com a participação das Secretárias Nacionais de Mulheres da Nova Central, CTB, CSB, CUT, Força Sindical, e UGT a reunião  aconteceu na sede da Força Sindical, na capital paulista.

O Primeiro ponto da pauta debateu a escolha do nome do Fórum para representar as mulheres das Centrais na Secretaria de Mulheres da Confederação Sindical dos Países de Língua Portuguesa, houve consenso em torno do nome de Cássia Bufelli, da UGT.
 
Em seguida, sobre conjuntura, as integrantes abordaram vários aspectos relacionados às perdas de direitos. Os debates levaram ao consenso que essa é uma crise não somente brasileira, mas internacional.
 
As dirigentes sindicais reforçaram a importância da participação das mulheres nas reuniões gerais das centrais sindicais, que têm como característica a persistente ausência de mulheres, negros e negras e jovens; distanciando as proposituras destes grupos sociais junto ao movimento sindical.

As participantes foram unânimes em reforçar a importância de encontrar maneiras de chegar com mais ênfase até os trabalhadores - em particular as trabalhadoras - com uma abordagem que eles (as) compreendam o momento difícil que o país atravessa, de maneira a motiva-los a fortalecer a luta na defesa de seus direitos junto ao sindicato.
 
Também houve acordo em priorizar ações de formação e comunicação no sentido de ampliar o impacto das manifestações e campanhas contra os retrocessos em curso. Na ocasião, foram propostas várias iniciativas de divulgação, propaganda e mobilização que deverão começar desde antes da aprovação da reforma da previdência e prosseguir até as eleições de 2018.
 


 
* Sônia Maria Zerino é Secretária Nacional para Assuntos da Mulher da Nova Central Sindical de Trabalhadores -  NCST




Imprensa NCST