Mulheres unidas organizam ato público contra a reforma da previdência e todo tipo de violência

Data de publicação: 1 Mar 2019




Sob a coordenação da Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST e da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria – CNTI, o ato público intitulado “Ruim para Todos, Pior para as Mulheres”, celebra o Dia Internacional da Mulher iniciando uma serie de atos em todo o Brasil, com o objetivo alertar a população, sobretudo as mulheres, sobre os riscos e retrocessos resultantes de uma eventual aprovação da PEC 06/2019. “Com a colaboração de um vasto coletivo de entidades sindicais, movimentos sociais e representações da sociedade civil organizada, a expectativa é levar informação de qualidade para amplos segmentos da sociedade, em contraponto às meias verdades sobre Previdência Social compartilhadas pelos defensores de seu desmonte”, avalia a Diretora de Assuntos da Mulher da NCST, Sônia Zerino.

 
Clique AQUI e acesse o MANIFESTO

 
O ato público está programado para o dia 29 de março, com concentração no Viaduto Santa Efigênia, em frente ao INSS, na capital paulista. Na oportunidade serão distribuídos panfletos, boletins informativos além das orientações, em carro de som, de lideranças sindicais e especialistas em Previdência Social para esclarecer, de maneira objetiva e didática, as consequências de uma eventual aprovação da proposta de “reforma” da Previdência encaminhada pelo governo.



Sônia Zerino


“Tendo em vista a atual conjuntura, repleta de retrocessos, resolvemos realizar este ato para dar visibilidade à luta das mulheres, às nossas bandeiras de luta, numa mobilização que envolva a todos, homens e mulheres; os movimentos negro e LGBT; os trabalhadores e trabalhadoras da cidade e do campo, formais e informais; os desempregados; e todos os demais segmentos sociais que serão impactados caso esse absurdo lesa-pátria seja aprovado. Se faremos a resistência em defesa deste castigado país, não iremos restringir nossas ações à participação apenas de nossa base representada. A reforma da Previdência é uma violência contra todo nosso povo mas, sobretudo e de maneira mais agressiva, uma violência contra a mulher”,  reforçou a diretora de mulheres da NCST.


Fortalecimento da unidade em defesa da Previdência Social


Como coordenadora da mobilização, Sônia Zerino desataca a importância de se fortalecer o movimento, engajando cada vez mais segmentos da sociedade na luta em defesa da Previdência Social pública, justa e solidária.
 
“Para esse ato público já contamos com o apoio da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social, do Fórum Nacional de Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais – coletivo que agrega as maiores entidades sindicais do país (NCST; CUT; CTB; CSB; UGT e CSP), Conlutas e CGTB, bem como de dezenas de organizações da sociedade civil e dos movimentos sociais. Além do ato, estamos planejando ações articuladas em todos os estados visando conquistar apoio parlamentar à derrubada dessa proposta no Congresso Nacional”, conclui a líder sindical.

 
Clique AQUI e baixe os panfletos de divulgação do ato público. 




Imprensa NCST
 


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top