Ameaça à Justiça do Trabalho gera repúdio e manifestações de protesto

Data de publicação: 21 Jan 2019


A Agência Sindical repercute as reações, no meio sindical e jurídico, à recente fala de Jair Bolsonaro pelo fim da Justiça do Trabalho. A preocupação central é com os prejuízos aos trabalhadores, pois 90% das ações são motivadas  pelo calote a direitos por parte dos empregadores, referente a pagamento salarial, 13º salário, depósitos do Fundo de Garantia e descumprimento de Convenção Coletiva.



Dr. Marcelo Mendes em audiência no Tribunal Regional do Trabalho, em São Paulo



O advogado Marcelo Mendes Pereira - ele atua no sindicalismo no setor privado e público - comenta que a comunidade Jurídica foi pega de surpresa pela ameaça. O advogado aponta, porém, que as reações foram imediatas, firmes e em bloco. “Várias entidades de advogados e também da Magistratura se manifestaram de pronto contra a pretensão do presidente”, afirma.

Para o advogado, seria necessária alteração constitucional que mudasse a estrutura do Poder Judiciário brasileiro. “O Artigo 92 da Constituição deixa claro que entre seus órgãos está a Justiça do Trabalho”, argumenta.

“A Justiça do Trabalho é a mais avançada no Brasil", ele observa. Na avaliação do profissional, ela sempre antecipou posturas que depois acabaram adotadas pela Justiça Comum e Justiça Federal. Diz o dr. Marcelo: "A Justiça do Trabalho criou um arcabouço de conciliação e ajuizamento de ações coletivas inédito em outros órgãos do Judiciário. É uma Justiça moderna, que formula questões processuais de relevância”.

O advogado também elogia a rapidez com que a Justiça trabalhista decide e beneficia o trabalhador. “É a mais célere. Isso é importante, pois o empresário fica menos tempo litigando e o trabalhador recebe, caso tenha direito, de maneira mais rápida”, observa.

Entidade - Sarah Hakim, presidente da Associação dos Advogados Trabalhistas de São Paulo, defende a Justiça do Trabalho e alerta: “Sua extinção deixará o trabalhador à mercê do mau patrão. Há décadas, é um órgão de resoluções de conflitos, trazendo equilíbrio às relações empregado-empregador”.

TV - Segundo a advogada, que participa hoje do programa Repórter Sindical na Web, na TV Agência Sindical, "é preciso que todos entendam a importância da Justiça do Trabalho e manifestem repúdio à sua extinção".

Atos - Entidades ligadas ao mundo do trabalho e à Justiça articulam protestos. Segunda (21), advogados e sindicalistas fazem manifestação na capital paulista, em frente ao Fórum Trabalhista, na Barra Funda. Dia 5 de fevereiro, em Brasília, ocorre o Ato Nacional em Defesa da Justiça do Trabalho, também com a presença sindical.





Fonte: Agência Sindical


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top