Em momentos como o de agora, a advocacia precisa se posicionar

Data de publicao: 11 Out 2018



por Dalton Cesar Cordeiro de Miranda



A advocacia! Qual imagem e sentimento essa palavra desperta na sociedade, em especial para aqueles distantes dos tribunais? Na literatura e em piadas de salão, o exercício da advocacia geralmente não tem boa fama.

E tal não se dá somente por força do quanto propagado por intermédio dos diferentes canais de mídia, mas, também, pelo próprio exercício da profissão: os advogados são confidentes e testemunhas dos maus dias.

Mas a advocacia é mal interpretada e também vítima de preconceitos, pois conhecida de forma rasa e equivocada. Há uma má ideia do exercício da profissão.

Assim, em face destes tempos estranhos, necessário se faz enaltecer o papel da advocacia e, mais ainda, reclamar pela manifestação da mesma de modo mais transparente, direto, eficiente e eficaz.

O advogado é indispensável à administração da Justiça, cujo significado deve ser aquele distante da órbita dos atuais julgamentos subjetivos de valor, sendo que o mesmo deve ser atraído para o campo fértil da legalidade.

Dessa forma, no momento que atravessa o país, mais relevante ainda se manifesta o papel da advocacia, independentemente da ideologia professada por seus operadores, uma vez que seu exercício está atrelado a algo maior: à administração da Justiça e, em consequência, à defesa irrestrita dos direitos fundamentais.

A advocacia deve se apresentar formalmente contra os discursos de ódio, contra as agressões de ordem física e mental; contra os julgamentos e linchamentos em “praça pública”; contra a mentira; em favor da ética; em favor da diversidade e no sentido mais abrangente o possível do termo; em favor da dignidade da pessoa humana; em favor da verdade; em favor da democracia.

Não é tarefa fácil nem de baixa complexidade, e tolos são os que esperavam algo em sentido contrário, mas há normas de ordem constitucional e infraconstitucional a respaldar e dar suporte à advocacia, até mesmo para as meras tentativas de fazer prevalecer o Estado Democrático de Direito.

Que venha verbalizada, ou escrita, mas que venha uma decisão por tal reclamada manifestação da advocacia, pois a mesma se apresenta urgente e presente, agora, pois quando as "revoluções" se acalmam, em tese deveria começar um tempo de equilíbrio e apaziguamento, mas não é o cenário que infelizmente se afigura.

Em momentos como o de agora, donde as pessoas demonstram cansaço com uma suposta opressão que se definia como “liberdade”, clamam estas mesmas pessoas vivamente por uma nova forma de opressão. Assim, temos que a advocacia deve tomar a frente diante de todas as esferas de Poder, defendendo os ideais democráticos de justiça e liberdade; com sabedoria, utilizando-se das ferramentas normativas disponíveis — que são muitas —, combatendo atos de deslealdade, selvageria, vergonhosos e licenciosidade.

A advocacia deve se posicionar!



* Dalton Cesar Cordeiro de Miranda é advogado.




Fonte: Consultor Jurídico - Conjur

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top