Sindicalistas tentam dialogar com prefeito e presidente da Câmara de Neópolis (SE)

Data de publicação: 20 Jun 2018


Sindicalistas do Sindicato dos Servidores Municipais de Neópolis - Sintramune tentaram dialogar e pedir apoio ao presidente da Câmara Municipal de Neópolis: Célio Lemos Bezerra, para que interviesse junto ao prefeito Luiz Melo dos Santos (Luizinho), na tentativa de discutir as diversas e importantes reivindicações da categoria. Apesar do esforço feito, Lemos não quis qualquer conversa com os sindicalistas. 

A manifestação ocorreu na última terça-feira (12/06), e prorrogou até (13/06), quando os diretores e filiados do Sintramune, liderados pelo presidente Gerinaldo Vieira dos Santos Silva, com a participação do Sindicato dos Trabalhadores de Educação Oficial Sergipe - Sintese, e apoio da Nova Central Sindical dos Trabalhadores – NCST, em Sergipe, lutaram por melhores condições de trabalho para os servidores públicos municipal da região.



Presidindo a NCST/SE esteve: Luís Borges de Lima, juntamente com o vice-presidente, Alvino Aquino. Além dos líderes sindicais citados anteriormente; o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Setor Têxtil de Nossa Senhora do Socorro - SINDVESO, Genival de Jesus Dória, fizeram juntos a mobilização pacífica em frente à Câmara Municipal de Neópolis em Sergipe. Nesse sentido, apenas o vereador: Professor Clebson, se posicionou favorável aos sindicalistas, inclusive participando diretamente das manifestações, tanto no dia 12/06, quanto no dia 13/06, já que o ato se estendeu por 24 horas. Em todos os movimentos, o Professor Clebson se fez presente. O mesmo não se pode dizer dos demais vereadores e, principalmente do presidente Célio Lemos Bezerra.

No entanto, o que mais revoltou os trabalhadores durante o ato,  foi o comando do prefeito Luizinho, de manter o policiamento cercando um ato religioso (procissão de Santo Antônio, padroeiro da cidade) que ocorreu concomitantemente ao protesto. A ordem foi cumprida à risca pelos policiais comandados pelo Major Márcio, responsável pelo contingente de PMs do município, de impedir qualquer tipo de aproximação dos sindicalistas ao ato religioso .

Os dirigentes sindicais lamentaram o descaso das autoridades políticas do município, frente aos interesses da categoria de servidores públicos. Para Luís Borges, da NCST/SE: “atos iguais aos sofridos pelos servidores. Nós condenamos. Defendemos o diálogo acima de qualquer ato coercitivo, na busca pela construção de um entendimento benéfico aos servidores. Melhoramos com isso a prestação de serviços, que passará a ser de qualidade para a população em geral, com o respeito e a valorização concedida aos trabalhadores reivindicantes".

Além dos dirigentes da NCST de Sergipe, do Sintramune e do vereador: Professor Clebson, estiveram presentes também: a Professora, Jociene Matilde, que é coordenadora regional do Sintese; o Professor, Alberto, também da coordenação de Neópolis, e Alvino Aquino Santos, que além de vice-presidente da NCST de Sergipe é presidente da Federação dos Trabalhadores na Indústria do Estado de Sergipe - FTIES. Todos condenaram as atitudes do prefeito, do presidente da Câmara e da grande maioria dos vereadores.





NCST/SE

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top