NCST de Sergipe apoia greve dos servidores Município de Neópolis

Data de publicação: 4 Jun 2018




Prefeito mantém apadrinhados e não negocia salário com trabalhadores efetivos


Mais uma constatação flagrante de descaso com o trabalhador sendo acompanhado de perto pelo presidente da Nova Central Sindical dos Trabalhadores – NCST em Sergipe, Luís Borges de Lima. Desta vez são os trabalhadores Municipais de Neópolis, cujos direitos estão sendo negados pelo prefeito Luiz Melo de França, conhecido como Dr. Luizinho.

A manifestação dos trabalhadores pela reposição salarial de 4,84% se tornou greve geral, capitaneada por Gerinaldo Vieira dos Santos Silva, presidente do Sintramune – Sindicato dos Servidores Municipais do Município de Neópolis contando com o apoio, também, de Alvino Aquino Santos, Presidente da Federação dos Trabalhadores na Indústria do Estado de Sergipe e também vice-presidente da Nova Central Sergipe. Além dele, Genival de Jesus Dória, Presidente do SINDVESO,  Márcio Gomes, presidente do SINDIJA, Vanderley, presidente do Sindsfran e Jociene, coordenadora do Sintese participaram do ato de protesto.

Gerinaldo de Jesus, durante intervenção, afirmou que a categoria não pretende entrar em greve, mas todas as possibilidades de negociação com o Poder Executivo Municipal foram rechaçadas por Dr. Luizinho, que nem ao menos ofereceu qualquer proposta, fazendo ouvidos de mercador para os servidores efetivos do município.

O presidente da – NCST, em Sergipe, Luís Borges de Lima, vê a atitude do prefeito como o ataque de um inimigo contra quem trabalha, produz e mantém a máquina pública funcionando. “A Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST não vai cruzar os braços para esse tipo de atitude mesquinha e danosa para os trabalhadores. O prefeito tem que, no mínimo, sentar à mesa de negociação com as pessoas que o ajudaram a ocupar a cadeira de prefeito” – disse Luís Borges de Lima.

Já Gerinaldo Vieira, presidente do Sintramune, enfatizou que Neópolis, por possuir cerca de 500 servidores públicos, com apenas 60 mil reais o pleito dos trabalhadores seria contemplado. “Ao invés de atender aos servidores efetivos com um reajuste mínimo, o prefeito gasta cerca de 70 mil reais com apadrinhados políticos que se mantêm dependurados em cargos comissionados e que pouco contribuem para o desenvolvimento de Neópolis” – Concluiu o presidente do Sintramune.

Para tentar diminuir os efeitos da manifestação no município, o prefeito aproveitou a greve nacional dos caminhoneiros e decretou ponto facultativo em Neópolis. Mas de nada valeu a sua intenção de manter os servidores acuados, pois a greve geral do Sintramune não tem data para terminar. A prova disso é que, no primeiro dia de paralisação, os servidores municipais fizeram uma grande caminhada pela cidade, com carro de som, protestando contra o descaso do prefeito, com os atos sendo encerrados na frente da sede do Poder Executivo Municipal.


Fonte: NCST/SE
 
 
 

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top