Recessão jogou 5,4 milhões de brasileiros na pobreza extrema, mostra estudo

Data de publicação: 18 Dez 2017

Para o Banco Mundial, enquadra-se na situação de pobreza extrema quem vive com menos de US$ 1,90 por dia ou R$ 133,72 por mês.




Após uma década em queda, a pobreza voltou a crescer no Brasil devido à grave recessão entre 2014 e 2016. Segundo levantamento do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets), mais de 9 milhões de brasileiros caíram, em 2015, para abaixo da linha de pobreza (US$ 5,50 per capita por dia ou R$ 387,07 mensais), em decorrência da deterioração do emprego e da renda.

Desse total, 5,4 milhões se enquadram no critério do Banco Mundial para extrema pobreza. Vivem com menos de US$ 1,90 por dia ou R$ 133,72 por mês. As informações, publicadas pelo Valor Econômico, são baseadas na Síntese de Indicadores Sociais, documento elaborado pelo IBGE a partir da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).

Na última sexta, o IBGE revelou que 52,2 milhões de pessoas viviam abaixo da linha da pobreza em 2016, o equivalente a 25,4% da população. Na pobreza extrema, estão 13,35 milhões de brasileiros (6,5% da população). Com os cortes, o Iets criou uma série histórica para comparar com outros períodos.

De acordo com o pesquisador do instituto Samuel Franco, o país tirou quase 40 milhões de pessoas da pobreza de 2004 a 2014. “O retrocesso ocorre de 2014 para 2015. É quandro a crise [brasileira] começa a afetar a renda, provocar desemprego e gerar informalidade. Os empregos perdidos na construção civil, por exemplo, afetaram muitos trabalhadores”, disse o pesquisador ao Valor Econômico.

O economista Francisco Ferreira, do Banco Mundial, concluiu que a parcela da população em extrema pobreza cresceu de 4,1% para 6,5% em 2016. Segundo o diretor-geral da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), José Graziano, mais de sete milhões de brasileiros, mesmo vivendo em extrema pobreza, não recebem qualquer assistência social.




Fonte: Congresso em Foco

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top