FTTRESP adere a Greve Geral contra Reforma da Previdência de Temer

Data de publicação: 28 Nov 2017

Em reunião realizada terça-feira (28/11), na sede da Federação dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário no Estado de São Paulo (FTTRESP), filiada à Nova Central, representantes das Centrais Sindicais debateram a importância dos trabalhadores (as) em transportes participarem da Greve Geral contra a Reforma da Previdência marcada para 05 de dezembro.
 
O presidente da FTTRESP, Valdir de Souza Pestana enviou e-mail para todas às entidades filiadas à Federação com orientação para que seja decidida em assembleias específicas, a adesão dos trabalhadores (as), nesta paralisação que almeja barrar os planos do Governo Temer (PMDB), que a serviço dos banqueiros quer liquidar com o regime de aposentadorias no País.
 
Pelo texto do governo, as idades mínimas para aposentadoria serão de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens. Além disso, o tempo mínimo de contribuição previsto no texto é de 15 anos para os trabalhadores do regime geral, ante os 25 anos previstos na proposta aprovada na comissão especial. Para os servidores públicos, o tempo mínimo permanecerá em 25 anos. Nos dois regimes, os trabalhadores que quiserem receber o teto da aposentadoria terão de contribuir por 40 anos.
 
“Vejo como necessário este debate na base de todas as categorias. O que está em jogo neste momento é o futuro das aposentadorias de todos. Publicar edital, convocar assembleias e legitimar a aprovação na Greve Geral só fortalecerá os Sindicatos contra eventuais multas, sanções ou outras represálias que possam aparecer. A paralização do serviço de ônibus poderá ganhar proporções gigantescas”, avalia Pestana.
 
Na visão dos sindicalistas a proposta de reforma está para os bancos assim como o leilão do pré-sal esteve para a Shell, cuja privatização beneficiou a petrolífera estrangeira em R$ 1 trilhão em desfavor aos brasileiros. E que o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) chantageia ao dizer que a reforma da previdência é necessária para preservar a economia. 
 

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top