Servidores do Hospital Universitário de Brasília entram em greve apoiando o movimento nacional

Data de publicação: 20 Nov 2017

 Servidores do Distrito Federal-  DF 



A Federação Nacional dos Empregados Públicos de Serviços Hospitalares - Fenepserh, entidade filiada à CSPB, que representa o Sindicato dos dos Trabalhadores de Empresas Públicas de Serviços Hospitalares Sindserh, que trabalham para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, coordenou, na última sexta-feira (17/11), greve nacional. O movimento começou na segunda-feira (13/11), nas principais capitais do país, de acordo com o sindicato e obteve o total apoio da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil- CSPB.

O presidente da CSPB, João Domingos, reafirmou a disposição de negociação da sua filiada, a Fenepserh e os seus sindicatos, sendo este o principal motivo da greve. "Precisamos restabelecer o diálogo, como forma de resolver  os conflitos de relações de trabalho no âmbito da EBSERH, não é possível estarmos num estado social de direito em que o gestor público desrespeita os representantes sindicais legítimos dos trabalhadores", afirmou Domingos.

A CSPB espera “há muito tempo” um retorno da empresa para participar da mesa de negociação para encaminhar as reivindicações dos trabalhadores e trabalhadoras da EBSERH. 

A Fenepserh, que representa o nacionalmente os funcionários da EBSERH, vem reivindicando avanços no Acordo Coletivo 2017/2018, considerando-se que a Data Base é de 01 de março 2017, manutenção de direitos adquiridos nos acordos dos anos anteriores; pois há falta de materiais médico hospitalares, insuficiência de recursos humanos, condições inadequadas de trabalho, dentre outras. Hoje, os trabalhadores lutam por mais respeito, valorização e segurança para prestarem com eficiência o atendimento ao público.





A coordenadora de acordos coletivos da federação, Auricélia Lopes, afirma que não é desejo da classe parar as atividades e o movimento de greve cresce a cada dia: “Estamos contando com o apoio de mais seis estados que já estão paralisados desde o dia 13/11/2017 (Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Norte, Amazonas e Pernambuco/Petrolina). Informamos que o Hospital Universitário de Brasília só funcionando com 30% dos setores de internações e os demais setores administrativos, ambulatoriais e de exames eletivos foram suspensos 100% das suas atividades”.

De acordo com o  presidente da entidade no DF,  Edleuzo Cavalcante  Sindserh-DF a greve mobiliza cerca de 1500  funcionários e não tem prazo determinado para acabar. “o movimento não vai prejudicar o funcionamento do hospital, por manter um quantitativo mínimo de servidores trabalhando. Apenas as cirurgias já estão sendo desmarcadas e a Empresa responsável pela Gestão dos Hospitais Universitários se mantém na inércia diante do caos que vem se instalando nos Hospitais Universitários que aderiram ao movimento”.

A categoria exige para voltar a suas atividades, melhores condições de trabalho. Se mobilizam também contra o fechamento de leitos da Clínica Médica. Segundo o Fenepserh, é um retrocesso que ocasiona a redução no atendimento aos usuários do SUS nos Hospitais Universitários no Estado.





Fonte: Secom CSPB

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top