Deputados paulistas votaram unidos para desmontar a CLT

Data de publicao: 6 Jun 2017

A diretoria da Nova Central no Estado de São Paulo lamenta e denuncia os deputados que na quinta-feira 27 deabril, aprovaram a proposta de reforma trabalhista, uma das prioridades do governo Temer e uma antiga promessa feita às entidades empresariais. Na análise do texto-base, foram 296 votos a favor do relatório do deputado tucano Rogério Marinho (PSDB/RN).

A bancada paulista votou majoritariamente a favor do projeto, que altera pontos sensíveis da Consolidação das Leis do Trabalho. Entre as mudanças está a prevalência dos acordos negociados entre patrões e empregados sobre a legislação, obstáculos ao ajuizamento de ações trabalhistas, a possibilidade de parcelamento de férias em três períodos, a flexibilização de contratos de trabalho e o fim da contribuição sindical obrigatória.

Dos 67 representantes do estado de São Paulo presentes na votação, 46  votaram “Sim” e 21 “Não). PSDB, PRB e DEM foram os partidos que asseguraram o maior número de sufrágios favoráveis à reforma de governo Temer.

Entre os deputados que aprovaram a redução de direitos trabalhistas, destacam-se o ex-prefeito da capital Paulo Maluf, o pastor Marcos Feliciano, o jornalista Celso Russomanno e o tucano Carlos Sampaio, um dos mais aguerridos defensores do impeachment de Dilma Rousseff na Câmara.

Confira a relação completa:

PSDB: Adérmis Marini, Bruna Furlan, Carlos Sampaio, Eduardo Cury, Izaque Silva, João Paulo Papa, Lobbe Neto, Mara Gabrilli, Miguel Haddad, Ricardo Tripoli, Silvio Torres, Vanderlei Macris e Vitor Lippi;

DEM: Alexandre Leite, Eli Corrêa Filho, Jorge Tadeu Mudalen, Marcelo Aguiar e Missionário José Olimpio; PRB: Antônio Bulhões, Beto Mansur, Celso Russomanno, Marcelo Squassoni, Roberto Alves e Vinicius Carvalho;

PSC: Eduardo Bolsonaro, Gilberto Nascimento e Pr. Marco Feliciano; PSD: Goulart, Herculano Passos, Jefferson Campos e Walter Ihoshi; PR: Capitão Augusto, Marcio Alvino, Miguel Lombardi e Milton Monti;

PP: Fausto Pinato, Paulo Maluf e Ricardo Izar; PV: Antonio Carlos Mendes Thame e Evandro Gussi; PPS: Alex Manente e Pollyana Gama; PMDB: Baleia Rossi; PSB: Luiz Lauro Filho; PTB: Nelson Marquezelli; PTN: Renata Abreu.

Apenas PT, PSB, PDT, Solidariedade, PCdoB, PSOL, Rede e PMB orientaram sua bancadas a votar contra o texto apoiado pela base governista de Michel Temer.

Deputados que votaram não na reforma trabalhista

PT: Ana Perugini, Andres Sanches, Arlindo Chinaglia, Carlos Zarattini, José Mentor, Nildo Tatto, Paulo Texeira, Valmir Prascidelli, Vicente Cândido e Vicentinho;

Solidariedade: Major Olímpio e Paulo Pereira da Silva; PSOL: Ivan Valente e Luiza Erundina; PSB: Flavinho e Keiko Ota; PCdoB: Orlando Silva; PR: Tiririca; PTB: Arnaldo Faria de Sá; PTN: Dr. Sinval Malheiros; PV: Roberto de Lucena.
 

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias postadas em nosso portal. Cadastre-se e confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top