Deputados paulistas votaram unidos para desmontar a CLT

Data de publicao: 6 Jun 2017

A diretoria da Nova Central no Estado de São Paulo lamenta e denuncia os deputados que na quinta-feira 27 deabril, aprovaram a proposta de reforma trabalhista, uma das prioridades do governo Temer e uma antiga promessa feita às entidades empresariais. Na análise do texto-base, foram 296 votos a favor do relatório do deputado tucano Rogério Marinho (PSDB/RN).

A bancada paulista votou majoritariamente a favor do projeto, que altera pontos sensíveis da Consolidação das Leis do Trabalho. Entre as mudanças está a prevalência dos acordos negociados entre patrões e empregados sobre a legislação, obstáculos ao ajuizamento de ações trabalhistas, a possibilidade de parcelamento de férias em três períodos, a flexibilização de contratos de trabalho e o fim da contribuição sindical obrigatória.

Dos 67 representantes do estado de São Paulo presentes na votação, 46  votaram “Sim” e 21 “Não). PSDB, PRB e DEM foram os partidos que asseguraram o maior número de sufrágios favoráveis à reforma de governo Temer.

Entre os deputados que aprovaram a redução de direitos trabalhistas, destacam-se o ex-prefeito da capital Paulo Maluf, o pastor Marcos Feliciano, o jornalista Celso Russomanno e o tucano Carlos Sampaio, um dos mais aguerridos defensores do impeachment de Dilma Rousseff na Câmara.

Confira a relação completa:

PSDB: Adérmis Marini, Bruna Furlan, Carlos Sampaio, Eduardo Cury, Izaque Silva, João Paulo Papa, Lobbe Neto, Mara Gabrilli, Miguel Haddad, Ricardo Tripoli, Silvio Torres, Vanderlei Macris e Vitor Lippi;

DEM: Alexandre Leite, Eli Corrêa Filho, Jorge Tadeu Mudalen, Marcelo Aguiar e Missionário José Olimpio; PRB: Antônio Bulhões, Beto Mansur, Celso Russomanno, Marcelo Squassoni, Roberto Alves e Vinicius Carvalho;

PSC: Eduardo Bolsonaro, Gilberto Nascimento e Pr. Marco Feliciano; PSD: Goulart, Herculano Passos, Jefferson Campos e Walter Ihoshi; PR: Capitão Augusto, Marcio Alvino, Miguel Lombardi e Milton Monti;

PP: Fausto Pinato, Paulo Maluf e Ricardo Izar; PV: Antonio Carlos Mendes Thame e Evandro Gussi; PPS: Alex Manente e Pollyana Gama; PMDB: Baleia Rossi; PSB: Luiz Lauro Filho; PTB: Nelson Marquezelli; PTN: Renata Abreu.

Apenas PT, PSB, PDT, Solidariedade, PCdoB, PSOL, Rede e PMB orientaram sua bancadas a votar contra o texto apoiado pela base governista de Michel Temer.

Deputados que votaram não na reforma trabalhista

PT: Ana Perugini, Andres Sanches, Arlindo Chinaglia, Carlos Zarattini, José Mentor, Nildo Tatto, Paulo Texeira, Valmir Prascidelli, Vicente Cândido e Vicentinho;

Solidariedade: Major Olímpio e Paulo Pereira da Silva; PSOL: Ivan Valente e Luiza Erundina; PSB: Flavinho e Keiko Ota; PCdoB: Orlando Silva; PR: Tiririca; PTB: Arnaldo Faria de Sá; PTN: Dr. Sinval Malheiros; PV: Roberto de Lucena.
 

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top