4º Congresso da Nova Central – SP elege nova diretoria

Data de publicação: 5 Jun 2017

Nos dias 01 e 02 de junho, ocorreu na cidade Praia Grande - SP o 4º Congresso da Nova Central Sindical de Trabalhadores no Estado de São Paulo, que por unanimidade, os 300 delegados (as) participantes elegeu a chapa “Resistir e Avançar”, com Luiz Gonçalves (Luizinho) presidente.

O primeiro dia foi marcado pela abertura solene e discurso dos convidados, no segundo, foi aprovado o regimento interno e feita a eleição da nova diretoria que assumirá o mandato de (2017 a 2021). Os congressistas debateram a tese guia que abordou diversos temas de todas as secretarias com balanço do trabalho feito no último mandato e os desafios a serem enfrentados nos próximos anos.

Luiz Gonçalves enfatizou a necessidade dos dirigentes sindicais se conectarem com suas bases e com os trabalhadores de sua região, pois em breve teremos que defender novamente os nossos direitos através de greve geral, e só poderemos ser bem sucedidos com o apoio dos trabalhadores e trabalhadoras de nossas regiões.

“É muito importante à realização desse Congresso para que possamos fazer um balanço da atuação da Nova Central – SP nos últimos anos, nossos acertos e erros, e onde devemos mudar para poder melhorar. Ele será o oxigênio que precisávamos para continuar avançando a luta em defesa dos trabalhadores e trabalhadoras”, garantiu Luizinho.

Para os presentes, uma feliz surpresa foi a revelação que mais de 10% da composição da nova diretoria da Nova Central – SP será composta por mulheres . “Pode parecer um número pequeno, mas levando em consideração que o movimento sindical é um dos meios mais machistas que uma mulher pode se envolver, podemos considerar como uma grande vitória. Sinto muito orgulho de fazer parte da nova diretoria da Nova Central – SP.” Disse Kátia Rodrigues nova Secretária da Mulher.

José Calixto Ramos, presidente Nacional da Nova Central afirmou ser contra a reforma Trabalhista, porque além de retirar direitos duramente conquistados, ela deixa os assalariados sem ter a quem recorrer. “A intenção da proposta já aprovada na Câmara dos Deputados é impor derrotas fragorosas à classe trabalhadora e destruir o movimento sindical como força política, capaz de unir seus representados e reagir de forma unificada contra os retrocessos”, enfatizou.

Disse que o objetivo da reforma da Previdência é expandir o negócio bilionário das previdências privadas, em proveito dos bancos. E que a PEC 287/2016 que trata deste tema é um “verdadeiro ataque” ao direito de aposentadoria do trabalhador (a) ao aumentar da idade mínima para 65 para homens e mulheres inicialmente e 70 posteriormente e 49 Anos de contribuição para receber 100% de benefício.

Destacou que boa parte da sustentação do sindicato via a Contribuição Sindical é o que permite a manutenção das atividades para conquistar mais direitos trabalhistas, promover a luta organizada e a participação ativa nas mesas de negociações. Com este recurso é possível manter, ainda, a atuação jurídica especializada na defesa dos interesses imediatos e históricos da classe laboral.
 

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top