Que beleza! População rejeita Reforma da Previdência de Temer

Data de publicação: 2 Maio 2017

Pesquisa feita pelo Datafolha antes da Greve Geral de 28 de abril foi divulgada segunda-feira (01/05) Dia do Trabalhador e mostra que 71% repudiam reforma da Previdência Social do presidente proposta pelo presidente Michel Temer (PMDB). Sete em cada dez brasileiros (as) são contra a reforma, e 63% querem a saída dele do cargo.

A maior rejeição vem de trabalhadores do serviço público e cresce entre mulheres (73%), assalariados que recebem entre 2 e 5 salários mínimos (74%), jovens de 25 a 34 anos (76%) e aqueles que tem ensino superior (76%). O resultado das pesquisas tem sido um pesadelo para os governistas.

Foram 2.781 entrevistas realizadas em 172 municípios nos dias 26 e 27. Entre os aspectos da reforma mais condenados pelos entrevistados estão a idade mínima e a nova fórmula para calcular o benefício. Não há concordância entre os entrevistados com nenhuma das alterações sugeridas.

Isso acontece mesmo entre aqueles que consideram importante acontecer uma reforma. A proposta atual da reforma estabelece idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e de 62 para mulheres.

Atualmente, homens podem se aposentar aos 60 anos (mais 35 de contribuição) e mulheres aos 55 anos (mais 30 de contribuição). Os reformistas querem que o trabalhador contribua 40 anos para receber o total dos benefícios. A pesquisa questionou os entrevistados sobre idade mínima, fórmula de cálculo e tempo de contribuição e as respostas foram: 87% declararam oposição às mudanças.

Desse total, 83% são contra o tempo necessário para benefício pleno: 60% citaram a regra e outros 23% rejeitaram todas as três mudanças. Outros 27% são contra a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria dos homens e 25% se opõem à idade de 62 anos para mulheres.

As mudanças rejeitadas pela população fazem parte do substitutivo do deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), relator da reforma da Previdência. O presidente da comissão especial que analisa a proposta de reforma, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), pretende terminar a lista de inscritos para o debate do relatório na terça-feira (2/05) e votar o substitutivo até quinta-feira (4/05), de acordo com informações da Agência Câmara. 
 

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top