A luta para melhorar ambiente de trabalho é permanente!

Data de publicação: 2 Ago 2016


O mundo do trabalho brasileiro é injusto e perverso ao expor a classe trabalhadora em condições desumanas e aos riscos do trabalho que adoece, mata ou mutila em acidentes de trabalho. A cada ano o número total de acidentes registrados também é considerado extremamente alto, por mais que novas medidas estejam sendo adotadas para a prevenção deles. 

Em média são registrados mais de 700 mil acidentes de trabalho por ano e 2.500 óbitos, o que coloca o país em quarto lugar no mundo nesse aspecto, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), atrás apenas de China, Índia e Indonésia. 

Muitos destes acidentes (15%) são no setor de transportes, não só seriam evitados e, sim, eliminados definitivamente se as autoridades e o setor patronal fizessem os investimentos necessários para que a lei fosse cumprida. Não é falta de norma, é falta de cumprimento e fiscalização. 

A legislação brasileira é  rigorosa, temos 36 normas regulamentadoras das condições de trabalho que tratam especificamente de várias atividades, como construção civil, ergonomia, luminosidade no ambiente de trabalho, as normas são muito detalhistas e detalhadas. 

Fazer análise desses dados estatísticos é importante, pois demonstra que o número de acidentes de trabalho continua elevado, e que o Brasil ainda carece de uma política de prevenção mais abrangente e eficaz, que seja capaz de mobilizar tanto funcionários (as) como também empregadores de todos os estados do país para essa causa.

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário e Setor Diferenciado  - SP (STERIIISP), filiado à Nova Central apoia iniciativas como: Seminário de Cipeiros; Acompanhamento das Eleições das CIPAS nas empresas; Apoio ao trabalho dos membros da CIPA; Distribuição do Manual da CIPA, dentre outras atividades que venha de encontro a solucionar problemas de falta de segurança no trabalho e melhorar os ambientes de trabalho nas empresas do setor Rodoviário e Diferenciado na base de representação do sindicato.

Via de regras, o ambiente de trabalho do motorista é a rua e o veículo que conduz neles os trabalhadores (as) estão expostos a frequentes situações de estresse, a altos níveis de ruído, a diferentes temperaturas e situações climáticas e a longas jornadas de trabalho.

Ou seja, trata-se de uma profissão desempenhada em um meio ambiente laboral complexo e a jornada de trabalho prolongada pode acarretar consequências na saúde, tanto na física quanto na mental, distúrbios neurais, fadiga, nervosismo, ansiedade, depressão, problemas sexuais e estresse.

Esta forma de organização do trabalho pode aumentar risco de distúrbios gastrointestinais e problemas cardiovasculares. Sabe-se que o trabalho prolongado reduz a atenção e aumenta o risco de acidentes no trabalho, sendo influenciado tanto pela hora do dia quanto pelas horas trabalhadas. A prevenção de acidentes e doenças do trabalho é uma meta que precisa ser perseguida sempre!

José Alves do Couto Filho (Toré): Presidente do STERIIISP e Secretário Nacional do Plano dos Trabalhadores em Transportes da Nova Central


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top