​​CONTRAN endurece punições administrativas e aumenta valores de multas de trânsito

Data de publicação: 5 Nov 2014


No dia 23 de setembro de 1997 motoristas foram surpreendidos com a Lei 9.503, que instituiu o novo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) com severas regras e sanções administrativas e disciplinares para os infratores. Antes de sua aprovação, o movimento sindical, principalmente, os que representam os trabalhadores (as) em transportes, tentaram em vão interferir no sentido de pelo menos diferenciar o motorista comum do profissional.

Na ocasião os argumentos foram de que aqueles se expõem diariamente no trânsito caótico das grandes cidades e trafegam pelas estradas e rodovias do país, teria maior probabilidade de cometer uma infração de trânsito. Por isso, mereciam um tratamento diferenciado. Só que infelizmente, nossas reivindicações foram ignoradas pelo Governo FHC e os parlamentares da base aliada.

Segundo o diretor de Assuntos dos Transortes da Nova Central, José Alves do Couto Filho (Toré), não bastasse o descaso com o pleito dos trabalhadores (as) do ramo, ao longo dos anos o Conselho Nacional do Trânsito (CONTRAN) já publicou “inúmeras” Portarias, não com o objetivo de “educar”, e sim, de “arrecadar e complicar” a vida de quem depende da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para garantir seu “sustento e de sua família”.

Mudança no CTB pesará no bolso dos infratores

A partir do dia 1º de novembro o (CTB) sofreu algumas alterações que tornaram mais rígida a punição para a desobediência de 11 artigos que fazem parte dele. As maiores mudanças aconteceram no que diz respeito às ultrapassagens, que, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), são as responsáveis por boa parte dos acidentes nas estradas.

Ultrapassagens indevidas realizadas pela contramão e pelo acostamento agora ambas são consideradas infrações gravíssimas e deverão ter o valor multiplicado por cinco, o que equivale dizer que a multa será de R$ 957,70. Já para a ultrapassagem forçada, mesmo que em local permitido, a infração deverá ser multiplicada por dez, passando a multa a ser de R$ 1.915,40.

Outras mudanças como: Rachas, competições e não autorizadas, no art. 308 nos §1° §2°, foram acrescentados pela lei 12.971/14, tornaram-no mais grave que o Homicídio (art. 302) ou a Lesão Corporal (art. 303). Segundo a nova redação, a pena de detenção passa de seis meses a dois anos para seis meses a três anos, cumulada com multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.


A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES marca um momento importante na história do Movimento Sindical Brasileiro, ela é a esperança transformada em realidade que se constitui como instrumento de luta e de unidade da classe trabalhadora do nosso País.

NEWSLETTER
RECEBA NOTÍCIAS POR EMAIL

Receba diariamente todas as notícias publicadas em nosso portal. Após cadastro, confirme sua inscrição clicando no link que chegará em sua caixa de entrada. Confira essa novidade!

SAF-Sul Quadra 02 Bloco D Térreo - Sala 102 - Ed. Via Esplanada - CEP: 70070-600 - Brasília-DF | Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

Back to Top