MURAL
Data de publicação: 12 Mar 2010
POSTURA ARBITRÁRIA E PREPOTENTE DO DESEMBARGADOR EM MINAS GERAIS
Justiça de classe
Desembargador Caio Vieira Mello, dá voz de prisão ao dirigente sindical em reunião no TRT-MG

Desembargador mostra postura arbitrária, prepotente e autoritária
Mais uma vez, denunciamos a postura autoritária e arbitrária do Desembargador Caio Vieira de Melo, do TRT 3ª Região em Minas Gerais que, na noite do dia 10 de março de 2010, em reunião conciliatória convocada pelo mesmo, deu voz de prisão ao dirigente da FETTROMINAS, Hamilton Dias de Moura.

Esta foi uma clara tentativa de intimidar os dirigentes sindicais que representam os Rodoviários de BH e Região. O Desembargador, após ser indagado pelo diretor da FETTROMINAS e membro da comissão de negociação sobre a manifestação do mesmo acerca da lei de greve, pois a categoria poderá retomar o movimento após a assembléia de domingo dia 14 de março, o desembargador se irritou e chegou a dar voz de prisão ao companheiro Hamilton Dias.
Esta atitude do Desembargador mais uma vez comprova que a intenção, quando deu a primeira decisão contra as entidades sindicais e seus dirigentes, nada tinha de casualidade. Pelo contrário, o meritíssimo a todo instante comete autoritarismo e arbitrariedades contra os dirigentes sindicais e as organizações sindicais dos Trabalhadores.

Uma de suas primeiras ações nesta campanha foi ter ameaçado prender o presidente da FETTROMINAS, companheiro José Theodoro, caso o mesmo não chegasse ao Tribunal num espaço de tempo de 20 minutos. Na ocasião o companheiro estava doente e foi obrigado a sair do leito da sua residência para ir ao Tribunal. Após a humilhação imposta ao presidente da Federação, o desembargador concedeu uma liminar arbitrária, uma decisão questionável e que fere frontalmente o princípio da liberdade de representação sindical dos trabalhadores, o que demonstrou a sua atuação em favor da classe patronal que se mostra intransigente na Campanha Salarial em curso.

A “justiça” determinou o fim do movimento grevista e ainda impôs uma multa de R$ 300 mil reais por dia ao Sindicato dos Rodoviários e ainda bloqueou as contas bancárias da entidade, o que constitui uma aberração jurídica contra os trabalhadores.
Em mais uma rodada de negociação no Tribunal, os patrões não acrescentaram nem um centavo acima do percentual de suas proposta de 4,36%, que a categoria já havia rejeitado e, enquanto isso, o TRT também não apresentou nenhuma proposta para solucionar o problema. Com uma assembleia marcada para o próximo domingo, dia 14 de março, e havendo, portanto, a possibilidade da categoria retomar o movimento grevista, suscitado o desembargador a cerca da Lei de greve, o mesmo se irritou a ponto de dar voz de prisão ao diretor da FETTROMINAS Hamilton.
É público que, desde segunda-feira, dia 22 de fevereiro, os rodoviários de BH e região decidiram pela greve como a única forma de fazer pressão sobre os empresários do transporte coletivo de passageiros para conquistar uma proposta justa e digna para os trabalhadores do setor. O que percebemos é que tanto o poder público como o judiciário e também a classe patronal, continuam não acreditando no poder de mobilização dos trabalhadores rodoviários e, de forma truculenta e impiedosa, querem calar o movimento dos trabalhadores relembrando os velhos tempos da ditadura militar.

Por isso, companheiros (as), mais uma vez entendemos que o momento é de reação do movimento sindical, sob pena de vermos a luta dos trabalhadores de todas as categorias serem relegadas ao silêncio, como sempre quiseram os representantes dos empresários de todos os segmentos.

Para tanto, estamos convocando todos os companheiros (as) representantes de todas as categorias de trabalhadores e também as entidades progressistas e defensoras da cidadania, a apoiarem o movimento grevista dos trabalhadores rodoviários, repudiar e denunciar a todos os organismos nacionais e internacionais, a postura deste desembargador que ainda não acreditamos que seja a postura de todos os juízes e muito menos do judiciário mineiro.
Acreditamos que este é o momento do movimento sindical abraçar a causa dos trabalhadores rodoviários que mostraram coragem e determinação para levar à frente a luta por melhores condições de trabalho e vida.

12/03/2010

IMPRIMIR VOLTAR


SAF-Sul Quadra 02 Bloco "D" Térreo - Sala 102 / Ed. Via Esplanada  CEP: 70070-600 - Brasília-DF

Telefone: (61) 3226-4000 / Fax: (61) 3226-4004

  Copyright 2005-2012 NCST - Nova Central Sindical de Trabalhadores
Desenvolvimento: MVMWeb.com